11 de Julho de 2020,

Opinião

A | A

Sábado, 06 de Junho de 2020, 13h:27 | Atualizado:

Lício Malheiros

Crime Lesa-Pátria

licio.jpg

 

Sou patriota convicto, como tal defendo com unhas e dentes, a   nação em que nasci e pretendo morrer;  patriotismo   é o sentimento de orgulho, amor e devoção à pátria e aos seus símbolos como (bandeira, hino, brasão, riquezas naturais dentre outros).

A chamada em questão tem como premissa básica, resgatar a importância e respeito, pelos símbolos nacionais; assim como a permissividade, de manifestações pacificas e ordeiras, sem violência física e nem atos de vandalismo contra bens públicos (ou privados), tanto pró-governo como contrário a ele, isso é extremamente democrático e aceitável.

A “toda poderosa” no domingo (31), em um de seus programas televisivos o “show da morte”, na abertura do mesmo, a apresentadora como comumente faz, intitulou a manifestação pró-Bolsonaro de antidemocrática, porém nela estão contidas, senhoras de 90 anos, crianças, casais até cadeirantes.

Enquanto, a manifestação organizada por clubes de futebol, tendo como participantes torcidas organizadas de todos os times de futebol do país. A apresentadora em questão, a chamou de democrática e antifascista, porém este grupo desencadeou pancadarias, não apenas contra os  manifestantes pró-Bolsonaro, como também contra  a polícia.

A onda de manifestações continuou pelo Brasil, mais especificamente na República de Curitiba, na segunda-feira (01).

Agora, apenas os grupos contrários ao presidente Jair Bolsonaro,  marcaram pelas redes sociais, um protesto chamado de ato pacífico antifascista, que ocorreu por volta das 18 horas, em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no centro da cidade.

Tudo muito bonito democrático, até este grupo se intitular “antifa” grupo que protesta nos EUA, suas crenças políticas são voltadas para a esquerda, às vezes extrema esquerda, vejam que belezura, quem está contra o governo Bolsonaro.

Os manifestantes caminharam até o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico da cidade, a cerca de 2 km da UFPR, onde finalizaram o ato. Eram cerca de 1.200 manifestantes, segundo a Polícia Militar (PM).

O início da manifestação foi ordeira e  pacífica, gritavam palavras de ordem conta o presidente Jair Bolsonaro; não satisfeitos com a passividade da manifestação, deram início a uma verdadeiro quebra-quebra, contra prédios públicos e privados, atiraram pedras contra o prédio do  fórum cível de Curitiba, além de danificar equipamentos público do município, como em algumas estações-turbo e pontos de mobiliário urbano, e por ai vai, atos de vandalismo inconteste.

Vocês acham que a barbárie parou por ai, o pior está por vir. Que  são vândalos já sabíamos, agora, além de vândalos são antipatriotas; pasmem os senhores, não satisfeitos atearam fogo no símbolo máximo do nosso país,  a Bandeira Nacional, gritando palavrões ao dizer “Bolsonaro vai tomar no.......”, isso é democrático "toda poderosa"?

Tenho certeza, que cada cidadão de bem deste país, ao ver e ouvir essas sandices ditas por esses acéfalos,  pessoas ditas  civilizadas, isso dá uma revolta imensa, em cada um de nós que acreditamos em nosso país, e temos por ele, maior respeito e consideração, por ser chamada da ‘Pátria Amada Brasil’.

Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alexandre | Domingo, 07 de Junho de 2020, 10h59
    2
    0

    ANTIFAS a serviço da esquerda....

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS