07 de Julho de 2020,

Opinião

A | A

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 09h:10 | Atualizado:

Lício Malheiros

Obscuridade

Lício Malheiros.jpg

 

O Brasil vive hoje uma avalanche de desmandos e sobreposições de poderes, que vem ganhando  notabilidade no país e no mundo,  fruto da exacerbação, de medidas e ações tomadas pela Suprema Corte (STF), principalmente neste período triste e macabro, com a chegada do maldito vírus, Coronavírus ou Covid-19, o que é pior, de forma monocrática e não colegiada, como comumente acontecia, dando a entender, que em qualquer  momento em que um dos integrantes da Suprema Corte (STF),  sentirem-se ameaçados, estes,  poderão recorrer aos superpoderes a eles atribuídos. Como fez recentemente, o ministro Alexandre de Moraes.

A chamada em questão faz alusão, a um sentimento que permeia as cabeças e corações das pessoas de bem deste país, por falta de clarividência e posicionamento nas tomadas de decisões, quando são usados dois pelos e duas medida, explico.

Na quarta-feira (27),  o senhor ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, de forma monocrática, expede mandados de busca e apreensão no Inquérito do (STF), sobre ‘Fake News’ e ofensas à Corte, foram 29 mandados no âmbito da investigação.

Vamos tomar como premissa básica, um dos termos usados pelo senhor ministro, Alexandre de Moraes, para  efetivação desta barbárie; acordar 29 pessoas, pagadoras de impostos, trabalhadores que pelo simples fato de estarem em desacordo com os  posicionamentos tomados por alguns membros da Suprema Corte (STF), tem suas casas invadidas pela Polícia Federal (PF).

Os mesmos são acordados às seis horas da manhã, com armas apontadas para eles e seus familiares; exigindo documentos, computadores, além de determinar a quebra do sigilo bancário e fiscal das pessoas.    

Partindo dessa premissa, vamos refrescar a memoria do nobre ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, o número de 29 pessoas a serem acordadas pela Polícia Federal (PF), que apenas, cumpriu a determinação esdrúxula, imposta pelo excelentíssimo senhor ministro.

Neste caso então, o número de mandados deveria ser ampliado para milhões de pessoas, pois quem de nós já enviou ou repassou um ‘Fake News’, na maioria das vezes sem querer.

Nobre ministro Alexandre de Moraes, refrescando sua memória proativa, voltando ao ano 2018, quando: parlamentares, anônimos fizeram duras críticas à Suprema Corte (STF), e ninguém falou nada;  agora, repreenderam apenas os chamados  bolsonaristas.

Porém, em um passado recente, dois parlamentares, fizeram duras críticas ao (STF), estes, e muitos outros não foram acordados com a Polícia Federal (PF) em suas casas, quanta diferença de atitude da nossa Suprema Corte.

Não posso declinar seus nomes, sob pena, de ser também preso, vou chamá-los pelos seus carinhosos apelidos; o primeiro trata-se de um ex-ator pornô, vou reproduzir sua fala, relembrando o senhor ministro   da  mesma;  proferidas, em rede nacional por eles.

O ex-ator pornô diz “O país caminha para o ralo, temos que convocar a nação para ir às ruas implorar talvez pela intervenção militar no Brasil. A corte acomodada abriu caminho para o caos, medo, de ter seus esquemas revelados por Lula, fazem esses ministros conspirarem a favor de vocês do (STF), vocês, são a prova escarrada de que essa corte é uma vergonha, uma palhaçada  um câncer para o Brasil, o (STF), está envergonhando o país, essa liminar vagabunda, esdrúxula, vergonhosa é uma afronta, um desserviço conseguindo ser um rascunho em cima de uma armação...........”, prossegue sua fala,  prolixa e agressiva..

A outra tem o apelido carinhoso de ‘peppa pig’ nem sei o porquê desse apelido; em 17/03/2019, ela fez um vídeo elogioso ao (STF), vamos lá, ela diz “Defendo o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF),  nem que para isso seja necessário um golpe militar. Em tom de ameaça, a parlamentar acusa o (STF) de provocar insegurança jurídica no país e diz que pedirá o artigo 142 nas ruas – o artigo estabelece o emprego das Forças Armadas diante de ameaça à soberania nacional.

Ela chama o presidente do Supremo, Antônio Dias Toffoli de “advogado do PT”, Gilmar Mendes de “traidor da pátria” e conclui: “o supremo tem que ser dissolvido”.

Essas palavras carinhosas dirigidas a Suprema Corte (STF), foi dita por essa senhora, que hoje ataca veementemente o governo de Jair Messias Bolsonaro; e vossas excelências, se calaram e fizeram iguais a Pilatos, lavaram literalmente suas mãos naquele momento. Agora, em uma canetada ridícula, desproporcional a acusação dos mesmos, estes senhores têm suas casas invadidas, às 6 horas da manhã pela Polícia Federal, constrangendo: filhos, esposas, pais e por ai vai, vilipendiando assim,seus direitos constitucionais isso é uma vergonha.

Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo. 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS