09 de Agosto de 2020,

Opinião

A | A

Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 07h:47 | Atualizado:

Miranda Muniz

Percival: fato novo na política

mirandamuniz.jpg

 

Bastou pouco mais de 24 horas, após ter sido "arrancado" do comando do PPS (que agora passa a ser cavalo de Tróia da Rede Globo/Luciano Huck), numa manobra de lideranças políticas umbilicalmente ligadas ao governador tucano Pedro Taques, para o "Barba" (Percival Muniz) "quebrar o silêncio" e, no meu ponto de vista, se transformar num "fato novo" na sucessão estadual, ao colocar seu nome à disposição para um Projeto ao Governo do Estado, tendo como base a união entre os partidos do campo popular e democrático.

Foi questionado e discorreu sobre a necessidade da união das forcas democráticas e populares, para frear a marcha da insensatez que destrói direitos do povo e fragiliza a economia nacional. 

Destacou ainda que as bandeiras da época da redemocratização, dos anos 80, voltam à ordem do dia: "Já lutei pelas liberdades democráticas, o Estado de Direito, o pleno emprego, justiça social, soberania nacional, etc. Hoje precisamos lutar de novo.”

Pelas circunstâncias atuais, com forte ameaça à candidatura Lula, ele defendeu um amplo entendimento nacional das forças democráticas, populares e nacionalistas para encontrar um caminho onde prevaleça a unidade. 

Mas para ele, o importante é garantir que o campo que se expressa no apoio massivo ao ex-presidente Lula, às candidaturas Ciro, Manuela, Aldo Rebelo e outras "saia vitorioso para reerguer o pais."

Profetizou que o grande debate nas eleições presidenciais será "no campo econômico", ou seja, sobre os rumos que o País deverá seguir.

Foi exatamente nesta perspectiva que ele disponibilizou seu nome como um possível candidato ao Governo, no intuito de garantir “um palanque” ao projeto nacional e que possa aglutinar outros segmentos descontentes com a condução dos rumos do Estado, visando também a construção de um projeto alternativo em âmbito estadual.

Para ele, é preciso construir em Mato Grosso um "governo popular, com forte participação dos municípios, aberto ao diálogo e que respeite as diferenças". Um projeto focado no desenvolvimento, na descentralização administrativa e na inclusão.

Nós, do PCdoB, temos o maior interesse em discutir um Novo Projeto de Desenvolvimento para o Estado. E mais, daremos nossa contribuição às forcas políticas e ao povo, através do nome da Professora Maria Lúcia, ex- reitora da UFMT, para um projeto ao Senado.

Se antes Pedro Taques corria na raia livre, leve e solto rumo à reeleição, de agora em diante terá que se preocupar com Percival, que deu indicações que poderá vir forte, caso viabilize uma composição aventada por ele, envolvendo PT, PSB, PDT, PCdoB e outras agremiações que estão na oposição ou em conflitos com o atual mandatário do Palácio Paiaguás.

Agora é aguardar as opiniões dos partidos inicialmente citados e ver se esse caldo conseguirá engrossa.

Miranda Muniz – agrônomo, oficial de justiça avaliador federal, dirigente da CTB e do PCdoB/MT.

 



Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Saulo Ramos de Souza | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 12h04
    3
    2

    Quem não conhece Percival, vai abraçar a Defesa elaborada que seu primo Miranda Muniz, reparem o sobrenome, isso é muito triste, ainda mais para quem foi militante aguerrido do PCdoB, em épocas passadas. Que pena Altamirando, eu gosto do que escreve, mas essa defesa de seu primo como fato novo, foi contra a tudo que você sempre pregou. Isso é uma pena.

  • João S.Netto | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 10h01
    4
    2

    Só rindo para não chorar...essa sua tese de Percival, fato novo e possivel Governador em 2018, é o fim de picada. A sua ficha politica tá muito suja e obscura para pleitear um cargo público no Estado de Mato Grosso. A sua passagem pela Secretaria de Assuntos Fundiário no Governo Bezerra, entre 1988/89 deixou nodoas profundas, a sua passagem pela Prefeitura de Municipal de Rondonopolis foi muito ruim e moralmente comprometedora, e a passagem do seu time, pela Educação no Governo Blairo, tambem...sujou agua. Então..em tempo de moralização é melhor o nome do Procurador Mauro, ou da Ex-Reitora Maria Lucia para enfrentar esse ditador de plantão.

  • +Marcelo F | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 08h59
    4
    2

    FOLHAMAX, sei que não são responsáveis pelas Asneiras que alguns asn., digo articulistas escrevem aqui, sei também que a diferença de opinião deve ser respeitada em uma democracia, mas tem certos artigos e articulistas que teriam mais sucesso escreve contos de fadas ou então peças de comédia. Sugiro que reclassifiquem. Obrigado

  • alexandre | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 08h37
    4
    2

    Peteba, Percival foi traído por táxis, mas dá turma toda citada, só o Ciro, o restante nada acrescenta, vai ser Mauro , procurador, Malvadeza, Percival. Tudo indica que táxis Não vai nem pra 2 turno.. defender Lula acaba com a credibilidade, tem diferença entre política e religião. Quando acreditamos cegamente num argumento, virou religião, idolatria ao lulismo, mais razão e menos emoção, embora a esquerda tenha ordem de defender seu líder, vai afundar junto..

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS