18 de Outubro de 2019,

Opinião

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

Onofre Ribeiro

PMDB versus PT

ONOFREARTIGO.jpg

 

Nas décadas de 1960, 1970 e até a metade de 1980, o PMDB foi oposição partidária ao regime militar brasileiro. Foi uma oposição importante, única e indispensável para a redemocratização do Brasil. Em 1985 o PMDB chegou ao poder e se prostituiu amargamente. De lá para cá foi o exemplo do antepartido. Corrupto, fisiológico e vergonhosamente desvirtuado. 

Contudo, na eleição da presidência do Senado e da Câmara dos Deputados o PMDB, consciente ou não, deu uma imensa contribuição à redemocratização do país nesse fim de ciclo do PT. Pode se dizer que emparedou o PT numa encruzilhada. Analistas consideraram que o PT ficou confinado e isolado dentro do Congresso Nacional. A eleição acabou por mostrar que, apesar de todo o fisiologismo dos partidos políticos, especialmente o PMDB, as mágoas acumuladas contra o PT são muitas e vieram à tona.

O governo jogou pesado na eleição da Câmara dos Deputados apoiando o deputado Arlindo Chinaglia que acabou por ter 138 votos, contra os 167 do deputado Eduardo Cunha, do PMDB. O peso das pressões e das negociações do governo não surtiu efeito. Cerca de 23 deputados dissidentes não se submeteram à pressão e votaram contra o governo.  No Senado, o governo não articulou e o presidente reeleito, Renan Calheiros, se magoou ao ver a Câmara ser privilegiada e o Senado não. Ou seja, reelegeu-se considerando que o fez por conta própria e nada deve ao governo, aliado histórico em eleições anteriores.

A leitura final da eleição no Congresso Nacional é que os partidos estão isolando o PT por cota dos desgastes acumulados nas gestões Lula e Dilma. A gestão Dilma, em particular, causou muito constrangimento ao fragilizado Congresso que teme ser confundido com o imenso desgaste da corrupção que acabou se associar ao espírito do PT.

O seguimento da Operação Lava-Jato deverá trazer nomes de parlamentares ao mar de lama que está sendo apurado. O mesmo seguimento deverá comprometer além de parlamentares e figuras imponentes do Executivo e desencadeará uma imensa crise política e institucional.

A ser verdade e a continuar essa postura do PMDB nas duas eleições do Congresso Nacional, reiniciará um ciclo virtuoso perdido há mais de três décadas. Quem sabe?

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

onofreribeiro@terra.com.br   www.onofreribeiro.com.br

            

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS