02 de Abril de 2020,

Opinião

A | A

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 12h:50 | Atualizado:

Gilberto Figueiredo

Possível cassação de Abílio e a relevância da oposição

gilberto-figueiredo.jpg

 

São tempos difíceis para a política em Cuiabá. Assisto, estarrecido, aos desdobramentos que levam a Câmara Municipal de Cuiabá a votar a cassação do mandato do vereador Abílio Júnior – um parlamentar que atua de forma ativa em oposição à gestão do atual prefeito.

Como vereador licenciado desta mesma Casa de Leis, manifesto o meu apoio e solidariedade ao Abílio, sobretudo por entender a importância das ações exercidas pela oposição, em diversos níveis, na democracia.

Exerci, por dois anos, o cargo de vereador em Cuiabá e vivi todas as dificuldades e limitações que um político de oposição à atual gestão municipal sente. E, neste momento decisivo, não posso me calar ou me omitir, porque acredito que o rumo de todos os acontecimentos relacionados à cassação do Abílio esteja muito equivocado.

A postura de contestação deveria ser extremamente válida em qualquer cargo político, mas especialmente relevante para a atuação de um vereador.

Não é o vereador quem deveria representar os anseios da população no âmbito do poder público municipal? Não é ele quem deve apontar equívocos de gestão? Não é o vereador, ator do Poder Legislativo, quem deve apurar denúncias relativas ao Executivo? Pois então, se essas funções são corretamente exercidas, o vereador também deve ter a sua atuação respeitada.

Não falo aqui da possível cassação de um vereador de opinião nula e atuação ineficaz. Me refiro a um parlamentar que contribuiu para o despertar da Operação Sangria, investigação relacionada a um ex-secretário de Saúde de Cuiabá e que culminou em denúncias gravíssimas e prisões. Me refiro a um vereador que muito provavelmente incomoda a atual gestão municipal por meio de uma atuação baseada em questionamentos, contestações e, principalmente, investigações.

O meu maior pesar é perceber que um dos vereadores mais atuantes de Cuiabá pode ser injustiçado exatamente por ter exercido – de forma agressiva, sim – a sua função.

Ao meu ver, caso se concretize, a cassação ao Abílio será recebida pela população como a ausência de qualquer esperança ou crédito na maioria dos nomes que compõem a Câmara Municipal. Afinal, por que cassar o mandato de um parlamentar que defende posicionamentos autênticos e que dá força à (já escassa) oposição?

Termino o meu raciocínio da forma como comecei: são tempos difíceis para a política em Cuiabá.

*Gilberto Figueiredo é o atual Secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso

 

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Evangélico do cu preto | Quinta-Feira, 05 de Março de 2020, 22h09
    0
    0

    Desta fez nem o Diabo vai proteger o Abílio.

  • Paletó | Sábado, 22 de Fevereiro de 2020, 07h30
    1
    1

    Eu sou do movimento comunitário esse pessoal do grupo de mauro Mendes e seus corriginalios, não adianta nem vir ninguém vai tirar de Emanuel se for possível ajudarei ele de graça, ajudei Mauro Mendes depois que ganhou não deu importância pra ninguém.

  • Carlos Nunes | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 18h09
    2
    1

    Ih! Sr. Marcos Campos...se o deputado Sebastião Resende arrumou emprego pra toda essa turma que o Sr. descreveu, é problema dele...ele não é Vereador, é deputado. Quanto a usar ou não usar o templo da Igreja, na certa a Igreja permite...a única que podia reclamar seria ela. Também não tem nada a ver com a Câmara Municipal. Tem que separar uma coisa da outra, como dizia o ditado: os alhos dos bugalhos. Se alguém tem alguma denúncia que tio Abilinho tá metendo pacotes de dinheiro no bolso...que denuncie, pois esse é o verdadeiro crime. Eleição é igual Casamento, quando o padre fala: se alguém sabe de alguma coisa que impeça esse Casamento, que fale agora ou se cale pra sempre. É o caso da Juíza SELMA, onde o verdadeiro culpado pelo imbróglio todo foi o TRE/MT, pois recebeu denúncia de irregularidades em Setembro/2018, antes da eleição que foi em Outubro...não tomou providência nenhuma, pra investigar, pra ouvir a Juíza, etc, Deixou 678.542 eleitores cravarem o voto nela, dando o Aval pra que o eleitor acreditasse que tava tudo bem. 678.542 eleitores tapeados, porque acreditaram na palavra do TRE/MT de que tava tudo certo, tudo OK. O eleitor sai entusiasmado pra votar, vota, elege como o mais votado, e depois leva uma rasteira. Do candidato? Não, do TRE/MT que dá o Aval pra votar, dizendo que tá tudo bem.

  • Eleitor | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 17h43
    2
    1

    Para de fala merda Marcos Campos, primeiro que madastra é diferente de mae, e segundo esses parentes foi contratado pelo seu gabinete? não e são todos de maiores cada um responde por seus erros. MM ta ajudando ele pq o inimigo do meu inimigo é meu amigo. Agora vc vai me falar que o motivo da cassação é justa??? por causa de fiscalização? tem um monte de vereador (Chico, Renivaldo, Adevair, Juca etc) que ja fez agressão ao vivo, e o Toninho nunca aceitou a denuncia. Ta

  • Marcos Campos | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 16h10
    1
    4

    Ah Sr Carlos Nunes, tudo bem que Emanuel não é santo e o paletó lhe cai bem. Agora, defender esse Abilinho é demais, Tá na cara pra quem quiser ver que MM está patrocinando o Abilinho pq quer colocar um de sua "turma" na prefeitura. A mãe, a irmã, o irmão, tio, tio, sobrinho etc do ABILINHO, tá tudo pendurado em um cabide público, patrocinado pelo "irmão" deputado Pr Sebastião Resende. Abilinho usa uma sala no Grande templo da Igreja Assembléia como escritório político, disfarçado de escritório de arquitetura. Me diga o que é pior: o cidadão usar uma sala no gde templo como escritório político ou de arquitetura que pode até ser legal, más é de uma imoralidade sem tamanho.

  • Carlos Nunes | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 15h46
    4
    0

    Continuando meu comentário anterior...resta saber QUEM fez a denúncia de que havia obra irregular na casa do Prefeito...e de que havia irregularidades contra os cidadãos no Hospital? QUEM? Alguém de dentro da casa, e dentro do próprio Hospital fez...alguém que sabia do assunto. Tio Abilinho não podia adivinhar, porque não é vidente, nem tem bola de cristal. Como fica? Se uma cidadão ELEITOR quiser fazer uma denúncia pra um Vereador, como faz?...principalmente se a denúncia mexe com as autoridades poderosas. Muitos cidadãos não fazem denúncia porque nem sabem como fazer e por tem medo mesmo de fazer. Cidadão pobrezinho reclamar de autoridade poderosa, dá até medo.

  • Carlos Nunes | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 15h24
    3
    0

    Ih! Segundo o professor Onofre, no Programa Estúdio, com o Igor...a ordem da Cassação partiu do Palácio Alencastro. Parece que tudo começou quando tio Abilinho recebeu uma denúncia de obra irregular na casa do Prefeito...foi lá verificar e filmou com seu celular. Tudo ia bem, até que um cara saiu da casa do Prefeito e vapt-vupt surrupiou o celular do vereador. Pega ladrão! Consta que tio Abilinho, antes de ir até a casa, pediu assistência dos fiscais da Prefeitura pra acompanha-lo e checar se havia alguma irregularidade na obra...mas os tais dos fiscais recusaram acompanha-lo. Nunca vi fiscal da Prefeitura fiscalizar obra na casa do Prefeito...não vão porque o chefe não gosta. Nunca vi fiscal do Estado fiscalizar propriedade do Governador...não vão pelo mesmo motivo. Depois dessa, fizeram uma denúncia pro tio Abilinho de que havia irregularidades no Hospital São Benedito, administrado pela Prefeitura...tio Abilinho foi investigar, e como não tem papas na língua, passou pito nos funcionários pelas irregularidades denunciadas. A turma não gostou, chamou a polícia, fez B.O. Onde já se viu passar pito pela incompetência...não pode, ou pode? Afinal de contas qual é o papel de fiscalização de um Vereador? Quando recebe uma denúncia, o que faz? Opções: 1) pega a denúncia e joga na lata do lixo, porque não pode descontentar os poderosos, incluindo o Prefeito. 2) pega a denúncia e finge que interessa, mas não faz nada, fica no famoso "banho-maria". 3) vai investigar in loco, filma, grava, se constatar irregularidade, passa pito nos responsáveis. Uma coisa é certa, o cidadão comum, o digníssimo ELEITOR, quando vê irregularidade, não pode fazer nada...pois se quiser reclamar, aparece o Segurança e o coloca pra fora, NA MARRA. No pescoção às vezes. Contava com o Vereador, pra assumir seu papel e garantir seus direitos como cidadão...mas parece que o Vereador não apita mais é nada...se fiscalizar, se reclamar, chamam a Polícia e fazem até B.O., uai. Nós, os eleitores, os verdadeiros donos do Poder através do voto, só temos uma saída (ainda bem que temos uma): na próxima eleição que se aproxima, trocamos de Prefeito e RENOVAMOS a Câmara Municipal, de preferência colocando como Vereador, pessoas que não tenham medo de nada, nem de descontentar poderoso, que fuçem, investiguem, briguem, pra que os nossos direitos de cidadãos sejam respeitados. Alguém tem que brigar por nós...

  • Antonio Joao | Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020, 15h17
    4
    0

    Esse cidadão pensa mesmo que o povo é bobó xera xera. Está seguindo as ordem do MM e de olho na Prefeitura. Só que dessa quem não vai ser fácil. Usou a secretaria de educação municipal como trampolim para se eleger vereador. Posso garantir, não tem a menor chance de virar prefeito, e não importa quem seja o padrinho.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS