26 de Janeiro de 2020,

Opinião

A | A

Sábado, 29 de Março de 2014, 10h:00 | Atualizado:

Gabriel Novis Neves

Visão de um poeta

Gabriel Novis

 

Há mais de meio século trabalho com mulheres. Como ginecologista, é lógico, serem elas minhas clientes preferenciais.

Acompanho as suas gestações, faço os seus partos e assisto-as profissionalmente com a neo-natologista até o puerpério. Se a criança for uma menina, após esse período de resguardo, que tem a duração de quarenta dias, a recém-nata é entregue aos cuidados de uma pediatra-puericulturista.

Na adolescência recebo-a de volta definitivamente. É outro ciclo de experiências que tem início, pois, os seres humanos são todos muito diferenciados, de acordo com a sua geração.

Essa é outra coisa fascinante desse meu trabalho, lidar com as diferenças e conflitos familiares de diferentes épocas.

A mãe continua desfilando ao seu ginecologista as preocupações normais das várias fases deste ciclo biológico, que se inicia com o nascimento e, um dia, se exaure.

A morte não existe, mas sim, o encerramento da nossa existência. Essa denominação de morte faz parte da nossa cultura religiosa e devemos respeitar.

Não existe uma verdade, como não existe uma só religião, que é uma forma de atingirmos o bem.

Esta é a visão superficial de um médico no seu contato permanente com as mulheres, esses seres humanos tão diferenciados e iguais nos seus temores e fantasias.

E o poeta que sempre cantou o amor encantando as mulheres de todas as idades?

Vale a pena saber como Vinícius de Moraes se inspirava nos mais lindos poemas sobre as mulheres, emocionando gerações de pessoas.

“Há mulheres altas e mulheres baixas; mulheres bonitas e mulheres feias; mulheres gordas e mulheres magras; mulheres caseiras e mulheres rueiras; mulheres fecundas e mulheres estéreis; mulheres primíparas e mulheres multíparas; mulheres extrovertidas e mulheres inconsúteis; mulheres suaves e mulheres wagnerianas; mulheres simples e mulheres fatais – mulheres de toda sorte de mulheres no nosso mundo de homens”.

Será que depois de tantos detalhes visto pelo poeta o ginecologista será mais valorizado por trabalhar com tanta complexidade?

Não existem mulheres invejosas, apenas mulheres que gostariam de ser a outra.

Todas são encantadoras, simpáticas, atraentes, cativantes nas suas emoções de dar vida a uma simples célula humana.

Gabriel Novis Neves é médico

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS