06 de Agosto de 2020,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 20h:19 | Atualizado:

TRAMA MIRABOLANTE

Fazendeiro ameaça divulgar vídeos e é morto pela família da amante em MT

Assassinos confessam crime, mas foram postos em liberdade por não haver mandado de prisão

fazendeirojuara.jpg

 

A Polícia Judiciária Civil esclareceu o desaparecimento do fazendeiro, Moises Moraes, de 57 anos, ocorrido em Juara (709 km a Médio-Norte), no dia 29 de janeiro deste ano. A vítima foi assassinada a tiros por uma trama armada pela mulher com quem ele mantinha um relacionamento extraconjugal.

Cinco pessoas foram identificadas pelo assassinato. São uma mulher de 44 anos, com a qual o fazendeiro mantinha relacionamento amoroso há cerca de 5 anos, o marido dela, de 53 anos, o filho de 22, a filha de 19 e um vizinho de 39 anos.

A vítima frequentava a casa da família da amante e estava se separando da atual  mulher para ficar com ela, que decidiu não se separar. O fazendeiro passou a pressionar a amante para que ela se separasse, ameaçando mostrar fotos e vídeos deles ao marido.

Então, se fazendo de vítima, a mulher inventou uma história ao filho, dizendo que era abusada sexualmente e ameaçada com arma de fogo pelo fazendeiro. “O filho acreditou e passou para o pai que também acreditou na história da mulher. Então chamaram um terceiro, um vizinho que também havia se desentendido com a vítima. No dia 29, à tarde, 15 horas, o marido fez com que a mulher ligasse para a vítima o chamasse para se encontrar com ela. Quando o fazendeiro chegou com a moto, antes de descer já tomou um tiro do marido”, contou o delegado de Juara, Carlos Henrique Engelmann.

Na sequência, a vítima foi alvejada com mais 10 tiros efetuados pelo filho, 1 tiro do vizinho e mais um disparo do marido. Após, a vitima foi enrolada em uma lona e levada para o meio do pasto, onde atearam fogo juntamente com uma pilha de madeira.

O corpo permaneceu queimando por três dias, desintegrando-se totalmente. Somente a filha de 19 não participou diretamente do crime, mas teria ajudado a transportar o corpo até a área da propriedade onde foi colocado fogo.

O delegado de Juara, Carlos Henrique Engelmann, disse que nesta segunda-feira a família foi levada para a Delegacia e terminaram por confessar o assassinato. Em buscas na casa, foram apreendidas três armas de fogo (espingarda 28, carabina 22, revólver 22) e na residência do vizinho outras três armas (carabina 38, rifle 22, revólver 22). “Todos confessaram a autoria delitiva, prestaram os depoimentos  bastante verossímil dos detalhes do crime”, afirmou.

O delegado informou ainda que o marido e o vizinho foram presos por posse ilegal de arma de fogo, pagaram fiança e foram postos em liberdade. Mas serão responsabilizado no inquérito policial, assim como os demais envolvidos, por homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver e posse irregular de arma de fogo.

Os nomes dos envolvidos não foram informados, por ainda estarem sob investigação. O comunicado do desaparecimento foi feito no dia 30 de janeiro, depois que a Polícia Militar foi acionada por um senhor, que havia encontrado, na área da fazenda Toca da Onça,  uma motocicleta abandonada próximo ao riacho e mais adiante uma bolsa com pertences pessoais do fazendeiro, juntamente com um revólver calibre 32 municiado.

A Polícia Militar ligou para proprietária da motocicleta, que estava em viagem e esta para o funcionário a fazenda Lagoa Rica, que informou estar na cidade de Juara. Ele  disse que desde o dia 29 de janeiro não conseguia contato com o padrão Moises. 

 



Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • J.JOSÉ | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 14h09
    2
    0

    alana | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 09h19>>>>> Vai continuar sendo Alana, afinal MELANCIA grande não se come sozinho.

  • LUNETA | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 14h03
    6
    0

    CINCO ANOS "COTCHANO" A MUIÉ DO CORNO E ELE NUM SABIA??? TCHÁ! CORNO MANSO DEMÁS!!...E POR CIMA BRAABO!!! FICÔ BUNITO PRA TCHÁ CARA! AGORA TODO MUNDO SABE. BESTÃO!!!

  • lixeiro | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 12h46
    4
    0

    Essa mulher é uma FDP mesmo, kkkkkkkk se bobear ela tava dando até pro vizinho, e o chifrudo do marido dela nem sabia, ela conseguiu fazer a cabeça de todos para matarem o fazendeiro, o pior de tudo isso é que aconteceu uma assassinato e os assassinos estão em liberdade. hoje vale a pena matar no brasil, você pode matar e ficar uns dias escondido e se entregar dias depois quevocê não vai ficar preso.

  • alana | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 09h19
    7
    0

    O mais provavelmente é que não houve ninguém enganado aí, a não ser, talvez, o casal de irmãos. O marido era mesmo é corno manso, aliás é...

  • EU dr | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 00h20
    7
    10

    HOMICÍDIO PRIVILEGIADO PUTATIVO QUALIFICADO?

  • Fpestragado | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 22h21
    41
    3

    Todo o caso o caso teve sua origem na astúcia feminina. A mulher engenhosamente envolveu a todos na trama, com a colaboração assídua da vítima, que, sendo escravo do próprio do próprio p..., envolveu-se com mulher comprometida. Ótimo objeto de estudo para futuros criminalistas.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS