12 de Agosto de 2020,

Artigos

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

Fiscalização interdita duas mineradoras em MT


G1-MT

Duas mineradoras foram interditadas por irregularidades após denúncias na região de Poconé, a 104 km de Cuiabá. A fiscalização, que ocorreu nesta quarta-feira (30), flagrou funcionários sem carteira assinada, maquinários irregulares, problemas nas instalações elétricas e outros que colocariam em risco a vida dos trabalhadores.

A ação foi feita por auditores do Ministério do Trabalho e Emprego, policiais rodoviários federais e Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso. De acordo com a PRF, foram encontradas três armas de fogo na região de garimpo. As pessoas que trabalham no local disseram que o armamento pertencia ao proprietário do local. Um homem que transportava as armas foi levado para a Polícia Civil de Poconé.

Foram apreendidas uma espingarda calibre 12 com 22 munições, uma pistola 765 com 10 munições e uma espingarda 28 com 3 cartuchos vazios. Segundo o MTE, das três mineradoras fiscalizadas, duas foram interditadas. Os dois locais tinham problemas diversos, principalmente nas instalações elétricas e em maquinários.

As condições encontradas nas duas mineradoras, conforme o MTE, poderiam causar riscos à saúde dos trabalhadores, inclusive riscos de acidentes de trabalho. Foram detectados problemas em maquinários diversos, como postos de lavagem, máquinas de corte, furadeiras e outros.

A fiscalização também encontrou fiações de energia que passavam dentro de pontos de lama, o que poderia causar acidentes com descarga elétrica.

De acordo com o MTE, no caso de apenas uma das mineradoras, nenhum dos trabalhadores tinha carteira de trabalho assinada. A outra mineradora também foi flagrada com funcionários sem carteira. As pessoas nesse local trabalhavam de forma totalmente informal. As empresas responsáveis pelas mineradoras vão responder a processos administrativos e podem ser multadas.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS