30 de Março de 2020,

Artigos

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro de 2020, 17h:41 | Atualizado:

LIBERDADE

Jornalista acusado de importunar colegas é solto em Cuiabá


Olhar Direto

olhar direto

leonardo/folhamax

 

A justiça concedeu liberdade nesta quarta-feira (26) ao jornalista e assessor de imprensa Leonardo Heitor Miranda, acusado pelos crimes de estupro tentado e ameaça.   

​Ele foi alvo de mandado no dia 25 de novembro de 2019. Conforme informação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), não houve imposição de cautelares. Segundo a advogada Wellen Candido Lopes, o acusado sairá da cadeia ainda nesta quarta. 

Liberdade foi concedida durante audiência de instrução na Segunda Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. O profissional da Comunicação é réu em três casos. 

A prisão que o mantinha fora do convívio social ocorreu em virtude de descumprimento de medida protetiva de urgência. O histórico de Leonardo Heitor no Judiciário é longo.

O primeiro processo foi recebido pela magistrada Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, no dia 19 de dezembro de 2019. O segundo caso foi recebido pela magistrada Suzana Guimarães Ribeiro, no dia 13 de janeiro, entrando em segredo de Justiça logo em seguida.

Mais recente, o juiz Jeverson Luiz Quintieri, em substituição na Segunda Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, acatou denúncia no dia 21 de janeiro e tornou o jornalista réu pela terceira vez.

Leonardo Heitor estava preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). O jornalista apresentou diploma de curso superior para ser transferido do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC).

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Benedito | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 01h44
    0
    1

    Além de sujar o nome da classe a ficha desse homem por si só é inquestionável. Abrir Adauto Botelho para que é para quem? Para esse bando de gente psicopatas ocupando todos é tudo em suas funções. Rasga a constituição rasguei a biblia rasguei tudo que se diz ser do bem. Tá tudo diminado. Pelo demo. Absurdo essa e outras tantas passadas mãos na cabeça de quem se posta como exemplo. SQN.

  • Elizete Cunha | Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, 00h48
    2
    1

    Gente eu morro de medo ainda mais eu que tenho filha pequena. Não entendo a justiça as vezes.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS