Polícia Sábado, 30 de Março de 2019, 09h:00 | Atualizado:

Sábado, 30 de Março de 2019, 09h:00 | Atualizado:

MALUQUICE

Mãe deu tapas para tentar acordar bebê em MT

 

Da Redação
RONDONÓPOLIS

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

BEBE.jpg

 

A Polícia Judiciária Civil autuou em flagrante o casal Anderson dos Santos Melo, 27 anos, e Bianca de Souza Almeida, 31 anos, por abandono de incapaz qualificado, com resultado morte, da filha de apenas dois meses, V. S.M.

O fato ocorreu nesta madrugada em Rondonópolis (212 km ao Sul). O casal foi encaminhado ao Plantão da 1ª Delegacia de Polícia, após a Polícia Militar ser acionada pelo Pronto Atendimento Infantil da unidade hospital da cidade, que fica no bairro Santa Marta, onde a menina chegou já com o sinais vitais fracos.

A criança deu entrada às 04h30, desta sexta-feira (29), com sinais de maus tratos e foi óbito por volta das 5h10.  A médica plantonista confirmou que a bebe de dois meses de vida já chegou com os sinais vitais fracos, sendo  constatado presença de hematoma na cabeça de  V.S.M.

A mãe relatou que tinha saído durante a noite para comprar bebida e deixado a menina sob os cuidados do pai. Ela contou que durante a madrugada, após ministrar algumas doses de dipirona, a filha começou a passar mal e passou a balançá-la e deferir alguns tapas no rosto da filha para acordá-la, mas percebeu a gravidade do estado da criança e a encaminhou a unidade hospitalar, onde morreu.

O casal foi autuado em flagrante no crime de abandono de incapaz qualificado, com pena de 4 a 12 anos, mas no final do inquérito policial poderá responder por homicídio ou tortura qualificada com resultado morte, conforme o resultado da apuração, que deve também aguardar o exame de necropsia, e ouvir outras pessoas.

O pai contou que a criança caiu da cama e bateu a cabeça. Tanto ele quanto a mãe são usuários de drogas e em janeiro deste ano, quando a menina nasceu, o hospital maternidade de Rondonópolis encaminhou ofício ao Conselho Tutelar, informando que a mãe usuária de drogas havia dado à luz a criança e necessitava de acompanhamento para recuperação da dependência química. Mas tão logo, a mulher foi encaminhada para tratamento, o Conselho Tutelar perdeu contato, até que tomou conhecimento da morte nesta sexta-feira.

 

 





Postar um novo comentário





Comentários

Comente esta notícia






Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet