22 de Abril de 2019,

Polícia

A | A

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 17h:49 | Atualizado:

AGONIA

Mãe reencontra em Cuiabá filho que desapareceu há 5 anos em Manaus

surdo-desaparecido.jpg

 

O jovem Alex Farias Moça, de 34 anos, foi localizado em Cuiabá cinco anos após desaparecer de casa, em Manaus (AM). O reencontro com a mãe foi registrado nesta segunda-feira (15), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

Alex, que é deficiente auditivo e possui deficiência intelectual, se apresentava cono André Gomes Ferreira.

No dia 11 de janeiro de 2019 ele procurou a Defensoria Pública e disse que tinha perdido seus documentos e precisava tirar a segunda via do Registro Geral (RG). Na ocasião, ele disse que se chamava André Gomes Ferreira. Porém, desde o início foi muito difícil para a Defensoria atendê-lo em função das limitações e dificuldades de comunicação.

Uma das assistentes sociais que atuou no atendimento, Eluidil Fontes, explica que ele não conhece a língua de sinais e não é alfabetizado, o que os levou a se falarem com gestos, dificultando o entendimento sobre o que ele precisava. O próximo contato foi no dia 21 do mesmo mês. Na ocasião, ele foi informado que precisaria trazer um boletim de ocorrência registrando o extravio dos documentos.

A partir de então, Alex passou a procurar a Defensoria diariamente para conseguir seus documentos e a equipe multidisciplinar do órgão, composta por defensores, assistentes sociais, assessores jurídicos e psicólogas, decidiu procurar a Delegacia de Homicídios e Pessoas Desaparecidas (DHPP) para pedir ajuda na divulgação de sua imagem.

No dia 18 de fevereiro deste ano, o Núcleo de Pessoas Desaparecidas de Cuiabá, recebeu informações da Defensoria Pública do Amazonas, relatando que André, na verdade se chamava Alex e que ele fazia parte do banco de dados de pessoas desaparecidas da Polícia Civil daquele estado. A Defensoria do Amazonas atende a mãe de Alex.

A Defensoria do Amazonas conseguiu passagens aéreas para Dagmar buscar o filho e também, para levá-los de volta para casa.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • PAULO MULLER | Terça-Feira, 16 de Abril de 2019, 09h28
    3
    0

    atitudes como essa que diferenciam a Defensoria Pública dos demais órgão. Parabéns. E também devemos respeito a equipe da DHPP que, apesar dos inúmeros trabalhos que tem sob sua responsabilidade, não se furtou a desempenhar sua função social. Se outros órgão tivessem tamanho comprometimento com o PÚBLICO, não seriam tão hostilizadas pela população.

  • Fernando | Terça-Feira, 16 de Abril de 2019, 09h13
    1
    1

    O banco de dados já deveria ser integrado a muito tempo. Vivemos em um país voltado para atender os interesses das corporações públicas e não da população. Nunca vi funcionário publico fazendo greve pra poder melhorar o atendimento ao contribuinte, só em interesse próprio, e viva os sindicatos.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS