05 de Dezembro de 2019,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 11 de Março de 2014, 12h:19 | Atualizado:

CIRURGIA PLÁSTICA

Médico e enfermeira são investigados por morte de bancária em MT


SORRISO

Ilustração

SILICONE

 

A Delegacia da Polícia Judiciária Civil de Sorriso (420 km ao Norte) instaurou inquérito policial para apurar crime de homicídio culposo, supostamente praticado por um médico cirurgião plástico e uma enfermeira plantonista, que teriam sido omissos em prestar socorro a uma mulher que passou por cirúrgia de implante de silicone nos seios, na manhã do dia 28 de fevereiro. A vítima Viviany Souza Romeiro Lauterer, 25 anos, recebeu alta da clínica por volta das 13h15, do mesmo dia que foi internada, e morreu no dia 8 de março.

Em depoimento, a irmã da vítima contou que após receber alta hospitalar ela foi para casa ainda meio sedada, mas conversava, e que não percebeu nada irregular até ela começar a passar mal. À irmã da vítima também contou que antes de Viviany deixar a clinica, uma enfermeira disse que ela poderia sentir algum desconforto ao respirar e foi orientada fazer alguns exercícios. A enfermeira também deixou o número do celular do plantão da clínica.

Ao chegar em casa, a irmã reclamou que estava com dificuldade de respirar e que estava com o corpo quente e teria passado o resto do dia reclamando de falta de ar. A irmã da vítima também informou que ligou por volta das 23h42 para a clinica  por duas vezes e somente foi atendida na terceira vez às 1h13, pela enfermeira plantonista e foi orientada a tomar alguns procedimentos, como afrouxar as ataduras e dar o medicamento prescrito pelo médico. Mas a Viviany continuou a reclamar de dores e começou a vomitar, quando tentou ligar novamente para a enfermeira e somente conseguiu ser atendida às 5 horas da manhã, e disse que iria levar a irmã à clínica naquele momento, mas a enfermeira informou que era impossível de prestar atendimento naquela hora e que a clínica somente abriria às 7h30, porém só estaria no trabalho às 8 horas.

A enfermeira chegou a informar que não adiantaria levar a paciente para a clínica, pois somente tinha dois leitos e que estariam reservados para cirurgias que ocorreria pela manhã. Por volta das 6h30, a irmã ligou novamente para enfermeira cobrando retorno, quando ela informou que já estava na clinica. A irmã, então, colocou a vítima no carro e seguiu para a clínica. Mesmo lá teve dificuldades de ser atendida. De acordo com as declarações, o médico somente teria chegado à clínica depois das 8h.

O delegado Thiago Dasmaceno informou que a  clínica não dispunha de ambulância e nem de equipamentos necessários para prestar socorro à vítima. Uma unidade do Corpo de Bombeiros teve que ser acionada para transportar a vítima até o Hospital Regional, onde foi internada em um leito de UTI. No dia 8 de março, Viviany teve uma parada cardíaca e faleceu.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS