10 de Dezembro de 2019,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 20h:44 | Atualizado:

REAÇÃO

Mulher confessa morte de homem que tentou estuprá-la em MT

Suspeita foi liberada após prestar depoimento onde admitiu crime

morte-portogauchos.jpg

 

Uma mulher de 48 anos confessou ter matado um homem que frequentava a casa dela em Porto dos Gaúchos, a 644 km de Cuiabá, no domingo (17). Segundo a Polícia Civil, Noêmia Martins da Silva, disse que matou à vítima, Mário Aparecido Lelis, que teria cerca de 40 anos, porque ele tentou ter relações sexuais à força com ela.

Ao G1 a polícia disse que, após receber uma denúncia anônima, foi até a casa da suspeita que confessou o crime. O corpo da vítima foi encontrado em um matagal nos fundos do imóvel um dia depois do assassinato, na segunda-feira (18).

Noêmia contou à polícia que mora sozinha e que estava reunida com a vítima e mais três homens na casa dela, consumindo bebida alcoólica. Em determinado momento, Mário tentou força-la a fazer sexo e ela não aceitou, mas a vítima insistiu. Em seguida, ela pegou um pedaço de pau e golpeou o peito dele.

Ainda segundo a polícia, a vítima disse que, quando a vítima caiu no chão após a primeira paulada, ela golpeou mais algumas vezes.

Noêmia foi levada para a delegacia do município.

De acordo com a Polícia Civil, ela foi ouvida e posteriormente liberada. Um laudo feito pela perícia vai identificar qual a causa e às circunstâncias em que a vítima morreu.

A princípio, os investigadores querem descobrir quem tirou o corpo da vítima da casa depois do crime.

As testemunhas que estavam no local no dia devem prestar depoimento. A polícia vai continuar investigando o caso.

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • jluis | Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019, 11h34
    1
    0

    Dona Flor e seus quatro maridos. Mas ninguém é obrigado a fazer sexo contra sua vontade, nem mesmo sua esposa, não importa a situação. Um ato sexual não interrompido imediatamente quando pedido por um dos dois participantes também passa a caracterizar estupro. De resto é a marvada pinga. Um ou mais dos outros três "maridos" ajudou ou ajudaram na desova, se é que a versão é a verdadeira. A polícia judiciária vai esclarecer.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS