18 de Agosto de 2019,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019, 11h:44 | Atualizado:

OMISSÃO DE SOCORRO

Mulher de ex-deputado alega que temia agressão em MT


G1

lidianeeeee.jpg

 

A mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB-MT), Lidiane Campos, suspeita de ter atropelado e matado uma criança, de 3 anos, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, afirmou, por meio de advogado, que deixou o local do acidente por medo de ser agredida. Lidiane dirigia uma caminhonete que atingiu uma motocicleta por um casal e a criança. O acidente ocorreu na noite de domingo (11).

Estavam na moto Dayane Palmeiras dos Santos, de 35 anos, o marido dela, Marcos Souza da Costa, de 30 anos, e Daniel Augusto Costa, de 3 anos, filho de Marcos e enteado de Dayane. Eles retornavam de uma comemoração do Dia dos Pais.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Civil, Lidiane não prestou socorro, fugiu do local e abandonou o veículo.

O advogado dela, Wilson Lopes, afirmou que Lidiane deixou o local com medo de ser agredida depois de ser cercada por testemunhas. “Ela foi fazer a conversão à direita e a motocicleta surgiu repentinamente. Ela ficou absolutamente desnorteada e descontrolou-se emocionalmente, não conseguiu frear”, afirmou Lopes.

O veículo ainda prosseguiu por alguns metros e Lidiane entrou na contramão. “Quando ela percebeu que estava um pouco adiante, algumas pessoas se aproximaram, cercaram e pararam o veículo. Ela se assustou, ficou com medo de ser agredida”, completou o advogado.

Uma das testemunhas retirou Lidiane do local e Sachatti foi avisado sobre o acidente. O advogado afirma que o ex-deputado ofereceu ajuda, inclusive quis até o velório, mas, na versão deles, a família da criança recusou qualquer tipo de ajuda.

A expectativa é de que Lidiane Campos preste depoimento na quarta-feira (14) ou quinta-feira (15). Conforme a delegada que coordena as investigações, Ludmila Zorzetti Vendramel, o advogado da condutora do veículo compareceu na delegacia para prestar esclarecimentos, bem como afirmou apresentar sua cliente.

Segundo a delegada, o próximo passo será ouvir o pai da criança e outras duas testemunhas do acidente, para posteriormente ouvir a condutora. Ela poderá ser indiciada pelo crime de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) na direção de veículo e omissão de socorro.

Lidiane dirigia uma Hilux SW4 que cruzou a Avenida 15 de Novembro, atingindo a moto. A caminhonete, mesmo após a batida, prosseguiu até a Rua Rosa Bororo e virou fugindo pela contramão.

Quando a polícia chegou encontrou a caminhonete na própria Avenida 15 de Novembro, local do acidente. O automóvel foi apreendido, mas a motorista não estava no local. O casal e a criança foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Regional de Rondonópolis.

A criança não resistiu e morreu por volta de 23h. A polícia pediu exame de corpo de delito e fez a liberação.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS