27 de Maio de 2020,

Polícia

A | A

Sábado, 28 de Março de 2020, 12h:23 | Atualizado:

PANDEMIA MUNDIAL

PM fecha 70 bares e postos por aglomerações em cidades de MT

Vinte e cinco pessoas foram conduzidas a PC por resistência

pm-blitz-folhamax.jpg

 

Desde a publicação do decreto estadual 419/20, em 20 de março deste ano, que estabeleceu medidas para o isolamento social, como forma de evitar a propagação do novo coronavírus, a Polícia Militar precisou intervir para dispensar 270 aglomerações, uma média de 38 por dia. Em apoio a instituições de defesa do consumidor e de Saúde Pública, a PM atuou no fechamento de 70 bares e de três postos de combustíveis.

De acordo com dados preliminares da Superintendência de Planejamento Operacional e Estatísticas (Spoe/PMMT), em todo o Estado foram 25 pessoas conduzidas à delegacias por resistência ao cumprimento das determinações legais, a maioria donos de estabelecimentos comerciais de venda e consumo de bebidas alcóolicas.

Além da capital, Cuiabá, com 15 dispersões, os relatórios apontam que a Polícia Militar vem fazendo dispersões principalmente em municípios pequenos. Em Nobres, por exemplo, município com 15 mil habitantes a 146 quilômetros de Cuiabá, foram sete aglomerações dispersadas. Já em Campinápolis e Nova Xavantina (a 658 e 645 km de Cuiabá, respectivamente), os policiais militares desfizeram seis aglomerações em cada.

Mas foi Nova Mutum (260 km de Cuiabá), com população estimada em 45 mil habitantes, que registrou o maior número: 20 dispersões, a partir de chamados de moradores, de operações e constatações feitas durante o policiamento preventivo.  Entretanto, a principal atuação da Polícia Militar mato-grossense vem sendo no sentido de orientar a população.

Um sistema próprio de monitoramento foi criado para esse momento de crise já contabiliza mais de 12 mil atendimentos de orientação e esclarecimento de dúvidas sobre as medidas emergenciais adotadas pelo Governo do Estado e municípios. Na noite de quinta-feira (26,03), quase 500 policiais dos 15 comandos regionais do Estado saíram às ruas para reforçar o policiamento de prevenção a roubos, furtos, orientar a população e fazer cumprir as medidas emergenciais de prevenção à propagação do Coronavírus.

Em Cuiabá e Várzea Grande a ação teve o reforço de policiais das unidades especializadas como os Batalhões Rotam, Cavalaria, Bope, Ambiental e Trânsito. Já no interior o reforço veio das Companhias de Força Tática. O subchefe de Estado Maior da PM, coronel Wankley Corrêa Rodrigues, destaca que em uma situação de emergência como essa em que vive o mundo, as atribuições dos policiais extrapolam as ações cotidianas de prevenção e repressão à criminalidade.

Rodrigues destaca que, para segurança e proteção da sociedade, é necessário atuar em apoio ou com ações individuais para orientar a população e fazer cumprir as medidas restritivas adotadas pelas autoridades governamentais. “É nisso que nossos policiais estão trabalhando de maneira intensa em defesa da população, adotando cuidados com a própria saúde e da família, mas também correndo riscos em muitas situações nas quais precisam intervir”, completa.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Inconformado | Sábado, 28 de Março de 2020, 14h02
    2
    1

    Quer dizer que em Sorriso ñ houve nenhuma ocorrência?! Ou a polícia não está fazendo sua parte ?

  • Tiago Chagas | Sábado, 28 de Março de 2020, 13h14
    4
    4

    Tem que voltar ao normal logo. Os governos querem que o povo morra mesmo. Vai abrir empresa e os demais órgãos públicos mas parques e praças devem ficar fechadas. Ou seja vc trabalhar dar renda e gerar imposto e lucro pro governo pode lazer não, temos que morrer trabalhando. A assembleia já definiu até a data de retorno normal dos funcionários, um absurdo até funcionários do grupo de risco eles já definiram a data de retorno 07/04 . Ridículo pq os bonitões dos deputados mal aparecem na sessão, agora vem querer dar de bons e trabalhadores. Embasado em que qual estudo eles definiram essa data? Até onde eu sei lá eles são mestres em outras artes nem um capacidade e conhecimento técnico de administrar nem uma casinha de cachorro. Bando de aproveitador. Sessão eles vão fazer de casa. Os servidores tem que se unir, trabalhar nos precisamos mas arriscar pessoas do grupo de risco é ignorância, maldade e desumano.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS