23 de Janeiro de 2020,

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 10h:12 | Atualizado:

OPERAÇÃO DELIVERYMAN

Quadrilha cobrava mais caro para vender drogas para a alta sociedade de Cuiabá

Oito pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira


Da Redação

quadrilha-delivery3.jpg

 

A quadrilha desbaratada na “Operação Deleveryman” comercializava entorpecentes com preço “acima do mercado”. O motivo, segundo a Delegacia de Repressão ao Entorpecente, é o fato da maioria dos consumidores terem alto poder aquisitivo e comprarem a droga no modelo “disque entrega”.

Ao todo, a DRE cumpriu oito mandados de prisão preventiva, 16 de busca e apreensão, além de bloqueios de R$ 50 mil e automóveis dos suspeitos. Os presos são: Douglas Guilherme Silveira Chaves de Moraes, Tainara da Costa Barbosa, Irlan Oliveira do Nascimento, Édson Silva de Almeida, Ruan Júnior Botelho da Silva, Natasha Montiny Barbosa da Cruz e Franquis Paulo dos Santos, conhecido como Coxa.

Uma das estratégias da quadrilha era se utilizar de garotas de programa para fazerem a entrega de entorpecentes. Segundo o delegado Victor Hugo Teixeira, neste caso os clientes agendavam programas sexuais e também a compra da droga. “A pessoa que iria fazer o programa já entregava o entorpecente a este cliente, geralmente em motéis”, frisou.

Outros pontos de entrega de drogas eram condomínios de luxo na Capital e ruas do Centro Político Administrativo. Apesar de ser local de órgãos públicos, as drogas eram entregues nas ruas do CPA e não há comprovação de que clientes sejam servidores. “Era o ponto marcado de entrega, mas não passamos informações sobre usuários”, frisou.

O delegado destacou que a entrega do entorpecente era feita na modalidade “disque droga”. “Geralmente, os usuários ligavam ou encomendavam a droga por WhatsApp. Esse entorpecente era entregue nos locais combinados”, contou o delegado que explicou que as investigações começaram em julho deste ano, com uma apreensão de drogas.

 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Amanda Duarte | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 15h53
    3
    0

    Tem um lá na foto com a famosa "tornozeleira". Mais um Ben10 foi pego com a boca na butija.

  • Marcos Barriga | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 15h05
    2
    1

    Cobravam mais caro dos VIP's. Esses traficantes tem mais ética que o Paulo Guedes

  • andre | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 14h24
    6
    1

    essa gurizada que gosta de "kinder ovo" é foda, kkkkkkk

  • Mixtense | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 12h20
    10
    0

    I eu precisando de uma diarista 2 vezes por semana, está difícil e mulherada Boa pra trabalhar e nada. Mal do séc XXI. Vida fácil.

  • Dona Encrenca | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 12h02
    3
    3

    Cliente Vip fazendo programa com essas katilangas? Kkkkk... Não seria um pouco de sensacionalismo? E só prenderam porque abusavam do preço ao consumidor? Porque é a mensagem que a polícia passa a população. Deveriam pensar um pouco nas informações repassadas ou criadas para a imprensa.

  • Degas | Quarta-Feira, 11 de Dezembro de 2019, 11h08
    12
    0

    Traficante não tem perdão.Cana longa a esses vermes.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS