15 de Agosto de 2020,

Polícia

A | A

Sexta-Feira, 07 de Março de 2014, 07h:40 | Atualizado:

RIO MÓVEIS

Rede de lojas já é investigada por sonegação fiscal em MT

Ilustração

riomoveis

 

Assim que tomaram conhecimento dos fatos que estavam sendo investigados pela polícia em Goiás, a equipe da Defaz começou os trabalhos no Estado e uma das frentes foi buscar no órgão de defesa do consumidor reclamações sobre determinados equipamentos da marca de comuptadores apreendida na rede de lojas Rio Móveis nesta quinta-feira. “Os computadores foram feitos sob encomenda com um tipo de configuração específica, fomos em busca das reclamações e a partir daí chegamos até a loja”, disse o delegado Carlos Cunha. 

Em seguida, um dos agentes comprou uma das mercadorias na loja e constatou que a configuração e o lote do produto batiam com os que haviam sido roubados. Para o delegado, quem comprou o produto nada mais é que uma vítima. “Eles não podem responder pela má fé dos comerciantes”, ressaltou. Além disso, por se tratar de um produto que foi adquirido de forma ilícita, a nota fiscal gerada pela compra também passa a ser considerada “ideologicamente” falsa e não tem validade. 

Todos os produtos do lote roubado que estavam à venda já foram recolhidos e os que foram vendidos devem ficar com seus compradores até segunda ordem. Só nas lojas de Cuiabá e Várzea Grande 89 máquinas foram apreendidas e eram vendidas em torno de R$ 800. 

Segundo Cunha, há mais de dois anos os empresários, que atualmente são donos da Rio Móveis, já foram alvos de outra investigação. Na época, as lojas tinham outro nome e eles responderam por sonegação fiscal. “Percebe-se agora que está se configurando também mais um caso de sonegação, porém, com uma nova empresa”, disse. 

VEJA MAIS

Polícia apreende 256 computadores roubados sendo vendidos em MT

Operação invade lojas que vendem computadores roubados em MT

Carga roubada estaria avaliada em R$ 1 milhão

Rede de lojas irá responder por crime de receptação em Mato Grosso



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS