18 de Agosto de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 00h:12 | Atualizado:

RACHA NO LEGISLATIVO

AL rejeita advogado para diretoria da Ager-MT


Gazeta Digital

AL-SABATINA-AGER.jpg

 

A Assembleia Legislativa confirmou na noite desta quarta-feira (14) na votação secreta o resultado da sabatina, realizada em 3 de julho passado, com os dois indicados pelo governador Mauro Mendes (DEM), Emerson Almeida de Souza e José Rodrigues Rocha Júnior, para as diretorias da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager). Na sabatina, Emerson sofreu pressão de deputados, enquanto com relação a Rocha Júnior o processo de questionamentos foi tranquilo.

Com 21 parlamentares em plenário nesta quarta, o primeiro, que é advogado, foi rejeitado por 10 a 8. Os demais deputados se abstiveram. 

José Rodrigues contou com 17 deputados votos favoráveis. Estavam ausentes da sessão noturna os deputados Dr. João, Romoaldo Júnior, do mesmo partido, e Janaina Riva, todos do MDB. Romoalado está de licença por 10 dias para tratamento de saúde. 

Após a reprovação de Souza, o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, do mesmo partido do governador, apontou uma articulação interna para rejeitar a indicação de Mendes. O "trabalho" para derrota teria partido do deputado Max Russi (PSB), primeiro-secretário do Legislativo.

Durante a sabatina, foi lembrado que  Emerson foi investigado na Operação Rota Final, da Delegacia Fazendária (Defaz). Ele citado como um dos integrantes da organização criminosa que pagava propina e fraudava licitações no setor do transporte.

Na arguição, os deputados Eduardo Botelho (DEM) e Ulysses Moraes (DC) questionaram sobre a operação. O sabatinado afirmou que “até hoje não vi qualquer decisão ou parecer técnico da Ager ser influenciado por política ou interesse econômico”.

Ele também enfatizou que não sabe o andamento do processo, pois “nunca fui chamado, nem solicitada a minha presença para prestar esclarecimentos. Nunca sofri busca e apreensão, nem mesmo na advocacia da Ager”.

O caso em que Emerson foi citado tomou maiores proporções por causa da delação do ex-governador Silval Barbosa, que cita as atividades fraudulentas na Ager como forma de arrecadar propina. Na decisão de afastamento de um dos envolvidos da Ager, o desembargador Guiomar Teodoro Borges cita Emerson como parte do “braço estatal” da organização criminosa. Emerson é servidor de carreira do órgão.

José Rodrigues, indicado para diretor regulador da Ouvidoria, respondeu apenas perguntas relacionadas à otimização de recursos e redução nos custos da passagem do transporte intermunicipal.

José Rodrigues Rocha Júnior é advogado e foi secretário municipal de Assistência Social na gestão de Mauro Mendes em Cuiabá. Ele chegou a anunciar candidatura para deputado federal nas últimas eleições, porém, desistiu do pleito alegando um atentado.

Rodrigues também é um dos membros do novo diretório do DEM em Cuiabá.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Gil | Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019, 08h51
    8
    0

    E a secretaria da SEMA, Mauren, que foi até presa.? se é para vedar os que possuem maus antecedentes, deve ver a situação de todos. Tem até secretario acusado de tentativa de homicidio contra o filho.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS