09 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 11 de Março de 2014, 09h:14 | Atualizado:

PROPINA NO VLT

Após arquivamento do TJ, OAB pedirá para MPF investigar propina no VLT

De acordo com OAB, financiamento com recursos federais permite MPF analisar denúncia

vagoes-do-vlt-ja-estao-em-cuiaba-a-tarde-havera-desfile.jpg

 Obra do VLT é estimada em R$ 1,2 bilhão

A diretoria da OAB/MT vai provocar o Ministério Público Federal em Mato Grosso a iniciar investigação acerca da aplicação dos recursos provenientes da Caixa Econômica Federal e Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) na implantação do Veículo Leve sobre Trilhos. Para financiar os custos, o Governo assinou contrato com a CEF no valor de R$ 423 milhões, que já haviam sidos aprovados para o Bus Rapid Transit (BRT) e serão redirecionados para o VLT; e numa segunda etapa, no valor de R$ 727,9 milhões financiados pelo BNDES por meio da Caixa. O Estado se responsabilizou com R$ 110 milhões em contrapartida não financeira, provenientes de desapropriações.

Conforme o presidente da OAB de Mato Grosso, Maurício Aude, a decisão foi motivada pelo arquivamento de um procedimento junto ao Tribunal de Justiça, a pedido do Ministério Público Estadual, que investigava possível prática de improbidade administrativa e fraude no Procedimento Licitatório nº 01/2012-Secopa para a contratação do modal VLT.

"A Justiça Estadual arquivou a investigação apresentada pelo Ministério Público Estadual que entendeu não haver provas suficientes. Ao verificar no próprio site da Secopa que a origem dos recursos é de instituições financeiras federais, decidimos instar o Ministério Público Federal a investigar. Toda a sociedade mato-grossense está preocupada com a aplicação correta dos recursos públicos e com a finalização da obra e a OAB/MT como representante da sociedade não se furtará em cobrar respostas e fiscalizar”, pontuou.

A atuação da Diretoria da OAB/MT contará com o apoio da Comissão de Fiscalização dos Gastos Públicos, presidida pelo advogado Ivo Matias.

VEJA MAIS

TJ arquiva investigação sobre pagamento de propina no VLT

Vencedor de licitação do VLT de Cuiabá era sabido um mês antes; assessor acusa propina 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS