15 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Quinta-Feira, 19 de Junho de 2014, 11h:26 | Atualizado:

BAIXO DESEMPENHO

Daltro é rifado e não está em pesquisas para definir nome da base

silval-e-daltro-queda.jpg

 

A disputa para definir quem será o pré-candidato da base de sustentação à sucessão estadual ficará entre o ex-juiz Julier Sebastião da Silva (PMDB) e o ex-vereador Lúdio Cabral (PT). Pelo menos é o que aponta as pesquisas e análises de conjunturas de consumo interno do grupo governista.

Com isso, o pré-candidato do PSD, o vice-governa-dor Chico Daltro, apesar de não recuar da disputa, já é considerado fora do páreo. O peemedebista aglutina maior força, principalmente, após definido os sete critérios de escolha do representante da base.

Dirigentes e pré-candidatos do partido se reuniram ontem à tarde, na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), para discutir a formação de chapas proporcionais. Em que pese Daltro ser o presidente regional do PSD, o secretário-geral do partido e deputado estadual José Riva, considerada a principal liderança da agremiação, confirmou que a consulta interna aponta Julier com uma boa margem de intenção de voto, embora o petista mantenha a melhor pontuação entre os três.

Ele confirmou que Daltro fica atrás dos dois concorrentes internos. Riva disse que a questão será discutida pelo grupo, que voltou a se reunir na noite de ontem, em Cuiabá.

A base de sustentação é formada, além do PMDB, PT, e PSD, pelo PR, Pros e PCdoB. Dos dirigentes partidários, apenas o presidente do Pros, deputado federal Valtenir Pereira, declaradamente apoia o pré-candidato petista.

Os demais mostram cautela em falar abertamente sobre o assunto. Neste momento, além das intenções de votos, a base busca observar qual dos pré-candidatos tem o perfil de melhor confrontar com o senador Pedro Taques (PDT), que disputará a sucessão do governador Silval Barbosa (PMDB).

O parlamentar lidera à corrida ao Palácio Paiaguás. O temor dos governistas é com a possibilidade de racha, caso Julier seja o escolhido, porém, no próprio PT é considerada prioridade para fechar alianças no Estado reunir o maior número de partidos em torno da pré-candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Perfil, intenção de voto, momento político, potencial de agregar, conhecimento do Estado, enfrentamento no debate e melhor nome para enfrentar o adversário foram os critérios apresentados para definir o pré-candidato do grupo.Quanto à eleição proporcional, Riva disse que o partido tem 20 pré-candidatos à Assembleia Legislativa, todos com liderança consolidada.

Segundo ele, o partido trabalha com a expectativa de eleger de cinco a seis deputados estaduais. À Câmara Federal, são cerca de 12 nomes e espera eleger dois, ou seja, repetir a mesma representatividade existente hoje. As chapas contemplam todas as regiões do Estado.

A maioria dos pré-candidatos, entre os deputados estaduais, participou da reunião. Dependendo das discussões com os partidos da base, o PSD pode disputar com chapa pura os cargos proporcionais.



Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Adriano de VG | Quinta-Feira, 19 de Junho de 2014, 18h41
    3
    0

    Julier e de longe o pior candidato. A única forma de piorar ainda mais a chapa dele era se colocasse o Walace de vice. Ai seria de doer. Ate o Muvuca venceria.

  • cuiabano | Quinta-Feira, 19 de Junho de 2014, 17h56
    2
    1

    Só se colhe o que planta! Daltro nem para síndico .

  • José | Quinta-Feira, 19 de Junho de 2014, 13h54
    1
    4

    Pedro Taques será eleito Governador no PRIMERO TURNO! Assim, sugiro ao futuro Governador Pedro Taques que, a partir de janeiro de 2015, DETERMINE UMA MINUCIOSA AUDITORIA NAS CONTAS DO ESTADO DE MT.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS