25 de Junho de 2019,

Política

A | A

Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 23h:20 | Atualizado:

CAIXA 4

Delator acusa advogado de desviar dinheiro da campanha de Taques em 2014

Malouf detalha que empresário lhe contou que havia entregue dinheiro a Paulo Taques


TV Centro América

alan-malouf-mpf.jpg

 

O empresário Alan Malouf disse, no acordo de delação premiada, que o ex-secretário de estado Paulo Taques, que é primo do ex-governador Pedro Taques (PSDB), não repassou parte do dinheiro recebido para o caixa de campanha à eleição de Taques, em 2014. Malouf, que era responsável pela arrecadação de dinheiro junto aos empresários que era destinado ao caixa dois de campanha, disse que ficou surpreso ao pedir dinheiro a um dos empresários e saber que Paulo Taques já tinha passado à frente e pego dinheiro com ele.

"Ele (empresário) falou: 'o Paulo Taques já passou aqui e acertei com ele o valor de R$ 500 mil e, inclusive, já paguei R$ 250 mil', e eu fiquei meio surpreso. Daí ele falou: 'vocês precisam se organizar, não estão falando a mesma língua', e isso mostra que esse dinheiro não entrou nem no caixa 1, nem no caixa 2, deve ter entrado no caixa 3", afirmou.

Delações de Alan Malouf e Permínio Pinto têm vários pontos em comum. A doação foi parar em um caixa desconhecido até para quem cuidava do dinheiro ilegal.

Alan Malouf assumiu que, durante a campanha, foi o braço direito do então candidato Pedro Taques. Ele garante que o candidato sempre soube das irregularidades na arrecadação da campanha e que nada teria sido feito sem autorização dele.

"Se eu sou o 'grão vizir', quem é o sultão, então? Está muito claro que é o pedro taques. eu agi a mando dele. Eu fiz para saldar dívidas de campanha dele. Eu não sou governador, não fui governador ”, disse.

 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Jordão Batista Jr | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 09h03
    5
    1

    Esse Alan e prepotente, arrogante acha que e melhor que todo mundo! Ta aí andando de tornozeleira, exemplo para a família e filhos, e o pior não precisava nada disso. Seu primo irmão Guilherme Malouf que armou todo esquema, foi para aquele órgão do atraso que abriga políticos corruptos em fim de carreira, e um tapa na cara dos Mato-Grossenses..........

  • Zeki | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 08h44
    4
    0

    Coronel Zaqueu chefe da Grampolandia

  • Areal II | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 08h33
    5
    0

    Quem anda sumido das secretarias é o senhor Octaviano Pivetta , será que pegou algum resfriado ? sera que esta com dengue?

  • Paulo | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 08h01
    4
    1

    Esse homem manda no TJ e MPE. Senao ja estaria preso.

  • José | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 07h37
    4
    1

    QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS