13 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 11h:55 | Atualizado:

CONCURSO DA SEDUC

Deputado cobra lisura em divulgação de resultado de concurso em MT

barranco.jpg

 

O deputado Valdir Barranco (PT) apresentou requerimento à mesa diretora da Assembleia Legislativa, durante sessão ordinária na última segunda-feira (06), solicitando ao governo do estado que cumpra as regras do último edital (01/2017) do concurso público da educação. Segundo o deputado, “a secretaria de educação não cumpriu as regras previstas no edital deixando de apresentar a lista de aprovados para o cadastro de reservas em sua totalidade”.

“Fui procurado por vários profissionais da educação e pelo sindicato da categoria (Sintep/MT) que denunciaram erros na lista homologada pela Seduc-MT. Muitos dos aprovados não aprovados tiveram seus nomes incluídos no documento. O Sintep-MT já havia oficializado reclamação junto à Seduc (Oficío 29/2018), mas nenhuma providência foi tomada. Por isso, estou requerendo explicações e correções por parte do Estado”, explicou o deputado.

O requerimento do deputado atende solicitação do Sintep-MT. “Este concurso pode ser classificado com um dos mais difíceis na área da educação pública de Mato Grosso de todos os tempos. Não é justo que os aprovados, ainda que para o cadastro de reserva, fiquem de fora da lista homologada pela Seduc-MT. O Estado tem a obrigação de cumprir o artigo 37 da Constituição Federal que prevê a legalidade do concurso público tendo como base o princípio da publicidade, moralidade e legalidade. Portanto, se faz necessário 100% de clareza e honestidade na lista de aprovados”, justificou Valdir Barranco.

Em plenário, o deputado deixou claro que mesmo não sendo contratados imediatamente para as vagas em aberto, os profissionais aprovados para a reserva estão aptos a ocuparem vagas livres na rede estadual à medida em que elas forem surgindo, dentro do prazo regulamentar do Concurso. “Portanto, seus nomes devem constar da lista de aprovados imediatamente para que não restem dúvidas sobre a lisura do concurso. Estarei acompanhando o desenrolar dos fatos até que o direito dos professores seja garantindo. Podem sempre contar comigo!”

Em tempo 

O Sintep-MT informou em seu site que está adotando medidas cabíveis para o cumprimento das normas que não podem ser alteradas no final do jogo. “Esperamos que não seja preciso recorrer à justiça novamente para o cumprimento da lei. É direito de todos os que passaram pelas etapas e foram bem sucedidos conhecerem a colocação. Afinal, o cadastro de reserva é importantíssimo num cenário em que a maioria do quadro de profissionais da educação é de interinos”, concluiu o presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes do Nascimento.

OUTRO LADO

Por meio de nota, a Secretaria de Educação informou que o concurso público foi realizado dentro da máxima lisura e a divulgação do resultado obedeceu o edital.

Veja a íntegra da nota:

Sobre a discussão acerca do cadastro de reservas do Concurso Público, a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) informa que: 

1 – O concurso contou mais máxima lisura e que não existe erro no edital, bem como na lista final de aprovados, divulgada na última quinta-feira (01.02);

2 - Visando a seleção dos melhores e o fortalecimento da educação, ressalta que o atingimento da nota mínima de corte não significou a aprovação, pois, além da nota mínima, o candidato precisava estar entre os melhores em função do número elevado da concorrência;

3 - Há poucos dias, o Secretário da pasta, Marco Marrafon, esteve com uma comissão composta por diferentes pessoas que expressaram seus questionamentos sobre a existência do cadastro de reserva, bem como, solicitaram que ele fosse extinto, o que não poderia ocorrer, porque as regras do Edital são claras a respeito do total de vagas, mais 50% desse total como cadastro de reserva;

4 - Os responsáveis pelo concurso na Secretaria informaram que a alteração das regras nesse momento é inadmissível, pois o resultado de classificação dos candidatos já é conhecido em conformidade com o que está escrito nas regras do Edital, havendo simplesmente uma incompreensão em relação ao que está sendo realizado em conformidade com o Princípio da Impessoalidade e qualquer alteração pode colocar em risco toda a realização do certame, prejudicando todos os participantes, especialmente os aprovados;

5 - Lembramos que essas mesmas regras do concurso foram e estão submetidas ao crivo dos órgãos controladores – Controladoria Geral do Estado (CGE), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público Estadual (MPE) – além de análise do membro do Sindicato dos Professores do Estado, que participou da Comissão do Concurso, sendo que tal questionamento não foi colocado em nenhum momento durante o concurso;

6 - Por fim, a Seduc reafirma seu compromisso com a educação pública de qualidade e destaca que esse foi o maior concurso público já realizado na área em Mato Grosso. Foram mais de 250 mil inscrições a custo zero para o Estado, além de contar com um modelo inovador com fases eliminatórias para o cargo de professor da Educação Básica;

7- Todo o processo foi acompanhado pela comissão do concurso, que contou com representantes da Seduc e do Sindicato dos Profissionais da Educação, contando com total transparência junto aos órgãos de controle, portanto, tendo em vista que o cadastro de reservas está limitado ao número de vagas, não há que se falar em erro.

 



Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Lawrence | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 16h37
    1
    1

    Estudem mais da próxima vez! Parem de reclamar! As regras são claras, são destinadas as vagas mais 50%, porém há municípios em que os candidatos não conseguiram alcançar as notas mínimas. O edital menciona que o Estado poderá (faculdade) chamar candidatos de outros municípios classificados no mínimo entre esses 50%, depois de homologado o concurso público. Estudem mais interpretação de texto, pois até Deputado Estadual está precisando de aula dessa matéria!

  • Aline | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 09h20
    2
    0

    O edital diz que se não houver inscrito para PNE as vagas poderão ser preenchidas pela ampla concorrência. Neste caso específico (Pedagogia Campo Verde) houve inscrição e podemos afirmar que pelo menos 1 (pode ter havido outras mas os candidatos não foram habilitados). O edital usa a palavra inscrito.

  • Aline | Terça-Feira, 13 de Fevereiro de 2018, 09h11
    1
    0

    O edital diz que se não houver inscrito para PNE as vagas poderão ser preenchidas pela ampla concorrência. Neste caso específico houve inscrição e podemos afirmar que pelo menos 1 (pode ter havido outras mas os candidatos não foram habilitados). O edital usa a palavra inscrito. Neste caso específico (Pedagogia Campo Verde) houve inscrição para PNE então não há porque haver aumento do número de vagas de ampla concorrência.

  • ÉRICA | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 21h16
    1
    1

    Eu fiz as contas está errado na pedagogia em várias cidades, campo verde por exemplo são 16 vagas para ampla concorrência é 2 para pne foram publicados 16+8=24 seria o correto, mas o primeiro lugar é pne então está faltando mais um, o edital diz que quando não há ou não se completa o nome a vaga é transferida para ampla concorrência, analisando a mesma cidade isso não ocorreu. Fiquem atentos vamos entrar na justiça.

  • Erica | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 21h06
    1
    1

    Não é só esse erro, tem mais para o curso de pedagogia aconteceu em várias cidades a mesma coisa, na cidade de Campo Verde a pne ocupa o primeiro lugar da ampla concorrência e não foi acrescentada uma a mais na classificação. E tem mais uma também no edital fala que se não estiver completado as vagas de pne a mesma será transferida para ampla concorrência,isso também não ocorreu. Fiquem atentos.

  • Dri | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 17h09
    2
    2

    Eu fiz a conta e o resultado do meu município tá correto ... a quantidade de vagas + os 50% de cadastro reserva. Acredito que não há erro.

  • JOÃO PEDRO | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 12h12
    5
    0

    #NOMEIASEDUCMT

  • Garbo | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 09h04
    3
    2

    Berro com essa nota da Seduc. Foi um pisão pra esse povo que fica lutando por uma causa perdida. Grito!

  • Aline | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 22h33
    12
    2

    2 vagas + CR (50% do número de vagas) = 2 vagas + 1 CR (2/2) = 3 Classificados Daniela. Ao fazer a inscrição o candidato aceitou os termos do edital.

  • Jean | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 19h42
    14
    1

    Meu Deus, tem candidatos que não sabem porcentagem. 50% de 2, quanto que é? Se haviam duas vagas, deveriam ter publicado "o equivalente a quatro nomes". Aff, como diz um comentário, depois não sabem porque são reprovados. kkkkkkkkk

  • Daniela | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 18h42
    3
    13

    Cinquenta por cento para cadastro reserva? Aqui na minha cidade, houve duas vagas para técnico administrativo portanto deveria constar na lista o equivalente a quatro nomes ,mas só consta de dois mesmo. Mas justiça seja feita e todos os classificados possam ter seus nomes incluídos nessa homologação.

  • willian | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 18h25
    11
    1

    Por favor Glaucia, SEDUC é secretaria de Estado. SME é secretaria do município. Fique mais atenta, assim você acaba com a nossa classe. Depois não sabem porque tantos professores são reprovados.

  • Glaucia Aristides de Barros Souza | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 15h14
    1
    7

    Os professores de Artes ficaram de fora do processo seletivo. Excluidos? Como ficam as aulas de artes no município?

  • Jota jota | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 15h03
    8
    4

    Nun é querer criticar essa equipe do governador, o povo que gosta de fazer cagada tá Louci

  • vera | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 14h55
    20
    5

    Estou na torcida para que consigam homologar todos os habilitados sem exceção. E Espero também que todos consigam tomar posse, pois as vagas existem.

  • Norecil Bispo da silva | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 13h07
    10
    8

    Está certíssimo o Sr. Deputado. Aqui vai uma pergunta ao Sintep;podem me informar se foi excluído do currículo a disciplina de de ARTES? Pq pelo últimos editais não consta essa disciplina. COMO fica a situação de professores formados em Educação Artística? Joga pro lixo o diploma?

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS