11 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Domingo, 10 de Novembro de 2019, 17h:45 | Atualizado:

3º TURNO

Deputados do PV travam disputa por vaga de titular na AL


Da Redação

GIMENEZ-BEZERRA.jpg

 

O deputado Oscar Bezerra (PV) considera que seu colega de parlamento e legenda Doutor Gimenez (PV) cometeu abuso econômico para se eleger e isso foi comprovado pelo fato de o MPE (Ministério Público Estadual) — segundo ele — mandar investigar a denúncia proposta quando denunciou o “caso” ainda no tempo das Eleições 2018. A denúncia foi protocolada em janeiro deste ano. 

Oscar Bezerra tem total interesse neste processo. Ele é o primeiro suplente do PV e ocupa o cargo em função da licença de Faissal Calil (PV). Caso Gimenez seja cassado, Bezerra é o "herdeiro imediato" da vaga.

“A questão do rito processual é natural, na época que detectamos que o candidato Doutor Gimenez havia cometido irregularidades. Propusemos a ação e é na justiça que tem que tramitar esse processo”, disse, na noite desta quinta-feira (07).

Já o deputado Doutor Gimenez disse que se trata única e exclusivamente de uma notícia requentada, pois ele já foi acusado e julgado e absolvido pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) em uma votação em que ele foi absolvido por unanimidade. “Por esses fatos que acabou de citar, já fui julgado e absolvido por sete a 0 no TRE, então é uma notícia requentada. Isso já foi julgado, é fato passado. Agora, é direito de todo cidadão lutar por seus pretensos direitos. A justiça está aí tanto para acusar quanto para defender. E, nesse caso, o TRE me absolveu por sete votos a zero. Pra mim, é assunto encerrado”.

O próprio Bezerra rebateu afirmando que  apenas fez sua parte como cidadão, pois, afinal de contas, já está de volta à Assembleia Legislativa, onde senta na cadeira de Faissal Calil (PV). “Agora saíram algumas matérias falando que foi encaminhado ao Ministério Público para pedir a investigação de fato das denúncias encaminhadas. Fiz minha parte como cidadão, me senti lesado, prejudicado, na oportunidade. É a justiça que tem que definir, mas tenho boa relação, estou no Parlamento, mas a missão nossa é aguardar o posicionamento da justiça. Não sou eu que vou, obviamente,  influenciar”, diz Oscar Bezerra.

Não é como entende, claro, o médico-deputado. Nas percepções e palavras dele, a divulgação da “não-notícia” agora, muitos meses depois, é pura e simplesmente por causa de sua atuação política séria, por parte de alguém que não utilizou a política como profissão, já que fez a vida como médico e se colocou como um dos participantes de uma nova concepção da política brasileira, com exigência por renovação nos usos e costumes dos ocupante de cargos eletivos.

“É política nova e política velha. Somos 14 novos, estou trabalhando pela região oeste e estou aqui para trabalhar. Fui eleito legitimamente pela minha região. Legalmente, e o parecer do TRE comprova e corrobora isso aí. Então, isso obviamente incomoda as pessoas. É um novo estilo de fazer política, muito aberto, muito sincero. Trabalho na área médica, nunca fui político, sequer presidente de bairro, minha vida foi consagrada à medicina, ao atendimento de crianças”, disse.

Para ele, o fato de ter serviços legitimamente prestados à comunidade ao invés de ter usado a política como profissão e meio de enriquecimento, incomoda algumas pessoas do “continuísmo” e que têm “ânsia” pelo poder e por manterem-se nele.

“Então, essa política certamente incomoda algumas pessoas do continuísmo. É interessante isso, mas eu sou o novo, estou aqui como novo, e como o novo, estou aqui para mudar, para trabalhar pela minha região. E isso não me afeta absolutamente. Estou à disposição do MPE, pronto a responder e a atendê-lo, mas enquanto isso, minha vida continua, continuo deputado, porque fui eleito pelo voto do povo legalmente, legitimamente, estou trabalhando e isso certamente incomoda essas pessoas”.

NOTA DA ASSESSORIA DO DR. GIMENEZ

"O deputado estadual Dr. Gimenez já teve uma ação de impugnação de mandato eletivo julgada improcedente pelo pleno do TRE, neste julgamento foram analisados os dois supostos casos descritos na matéria, em que se constatou que não houve nenhuma irregularidade na campanha do deputado. Em relação a esta suposta investigação, o deputado não foi notificado oficialmente e não tem como se manifestar sobre o tema sem concreto conhecimento dos fatos".

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Cuiabano msm | Domingo, 10 de Novembro de 2019, 21h12
    0
    2

    A grande realidade,se vc fosse novo dr Gimenes estaria fazendo política de outra forma,se aperta esse dr vcs descobrem coisas bem pior dos comprar voto e so o Conselho tutelar investigar isso Mais de perto,aí vai saber quem heee realmente esse dr na região, procurem q vcs acham, isso é um potrês que bacaninha de bulício,,

  • Igor | Domingo, 10 de Novembro de 2019, 18h58
    4
    1

    Esse Bezerra com a mulher já eram para estar presos

Matéria(s) relacionada(s):

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS