22 de Agosto de 2019,

Política

A | A

Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 00h:32 | Atualizado:

GRAMPOLÂNDIA PANTANEIRA

Desembargador garante que sociedade de MT teve "segredos assaltados" por grampos ilegais

Perri destaca que MPE não pode deixar de ser investigado


Da Redação

orlandoperri.jpg

 

O desembargador do Tribunal de Justiça (TJ-MT), Orlando Perri, apontou que a sociedade mato-grossense foi “assaltada pelos grampos ilegais”. O magistrado faz referência a um suposto esquema de interceptações telefônicas ilegais, promovidas pela Polícia Militar, e que contariam com a participação de promotores e procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado (MPE-MT), além de juízes do próprio TJ-MT.

A declaração de Perri consta da decisão, do último dia 5 de julho, do magistrado de não acatar o pedido do MPE-MT de desmembrar o procedimento investigatório criminal em três outras ações independentes – o que afastaria a Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Mato Grosso (OAB-MT), autora do pedido de investigação, do processo. O pedido de desmembramento foi feito pelo procurador de Justiça, e coordenador do Núcleo de Ações de Competência Originária Criminal (Naco), do MPE-MT, Domingos Sávio de Barros Arruda. “Deve se ter presente que a OABMT não pretende atuar na condição de vitima, na satisfação única dos advogados, mas na da sociedade matogrossense, assaltada pelos grampos ilegais, que acabaram por entrar nas esferas de segredos, onde os assuntos mais intimos estão alojados”, declarou o desembargador.

De acordo com informações da decisão, o inquérito investigatório criminal refere-se a pelo menos dois fatos que supostamente contaram com a interferência dos membros do MPE-MT, e também da Justiça, e que envolvem fraudes em interceptações telefônicas, no escândalo conhecido como "Grampolândia Pantaneira". Orlando Perri também lembrou que o MPE-MT “não pode se opor” ao acompanhamento das investigações.

Além disso, conforme o desembargador, a apuração não pode ocorrer entre quatro paredes. “E já me adianto em dizer que apesar do Ministério Público ser dominus litis da ação penal e de interessar sobretudo a ele as investigações criminais, não pode se opor ao acompanhamento delas por quem se apresente como interesse e legitimidade no resultado delas. Depois, não é recomendável, salvo situações legais, que nenhuma investigação, seja qual for a autoridade que as coordene, seja processada as escuras, entre quatro paredes”, observou Perri.

As suspeitas em relação às interceptações telefônicas remete à fraude conhecida como “barriga de aluguel”, nos autos da operação “Ouro de Tolo”, que levou a ex-primeira-dama Roseli Barbosa a prisão em agosto de 2015, e também a ocorrência de interceptações telefônicas ilegais ocorridas numa investigação contra o tráfico internacional de drogas ocorrida em Cáceres (222 KM de Cuiabá). Em ambos os casos houve a inclusão de números telefônicos de pessoas que não eram inicialmente investigadas no rol de suspeitos das referidas investigações.

Promotores e procuradores de Justiça, bem como juízes do TJ-MT, teriam agido em conjunto com a Polícia Militar, que operava o sistema de grampos, conhecido como “Sentinela”.Na decisão, além de negar o desmembramento, o desembargador Orlando Perri deu 30 dias para o MPE-MT concluir o procedimento investigatório criminal.

Antes, no entanto, o magistrado não proferiu apenas críticas ao órgão. Ele elogiou o MPE-MT como uma instituição de “valor moral intelectual inquestionáveis”. “Bem por isso, a transparência e a postura que essa grande imprescindível instituição, constituídas por homens de tempera e de valor moral intelectual inquestionáveis, deve adotar, mostrando a q sociedade matogrossense que seu compromisso e com a verdade, e que a transparência, tão fortemente pregada e exigida de todos, não é discurso retórico dito da porta para fora”.

DEPOIMENTOS

Nesta terça-feira, os coroneis Evandro Lesco e Zaqueu Barbosa fizeram novamente seus depoimentos na ação que tramita na Justiça Militar. Os dois fizeram confissões mesmo não tendo fechado acordo de colaboração por negativa do Ministério Público Estadual.

Nesta quarta-feira, será a vez do cabo Gerson Correa Júnior prestar depoimento ao juiz Marcos Faleiros. Os três militares vêm fazendo denúncias gravíssimas contra o MPE.

 

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • FIDEDIGNO | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 12h39
    0
    0

    QUEM DERA FOSSEM SÓ O SEGREDOS. ASSALTARAM MUITO MAIS QUE ESSAS BABOSEIRAS

  • Inacreditável | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 11h02
    5
    0

    Cada dia um novo escândalo....a lista esta se tornando extensa: carta de crédito, grampos , Costa quente para o paletó.........etc...Se o parquert de MT existiu um dia.....conseguiu acabar com sua própria reputação. Salvo rasas exceções.....

  • Cleidunei | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 10h26
    4
    0

    É por causa de uns que desconhecem os direitos e garantias constitucionais que o País está afundando na ignorância a cada dia. Afetou a todos os cidadãos brasileiros esse crime.

  • CORTICOIDE | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 09h30
    0
    11

    Este Desembargador nutriu uma inimizade com os Taques. Logo, suas declarações são parciais.

  • Gil | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 09h01
    2
    7

    Esse Desembargador tem interesse na causa, ele teve seu nome envolvido nos grampos, logo, não pode estar a frente deste processo. Neste caso se vê o quanto está errado esse sistema. O Ministério Público investiga a si próprio, é claro que não haverá punição e um Desembargador que possui interesse na causa. Assim, fica claro que está tudo errado.

  • Bananilda | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 08h45
    4
    4

    Bem, como sou pobrinha de marré marré com o meu modesto carrinho de churros, minha vidinha não interessou à nenhuma grampolandia. Estou sossegada aqui no meu barraco. Esses ricobelos e famosos grampeados que entendam.

  • Antônio | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 08h43
    4
    5

    Sociedade matogrossense não foi prejudicada em nada... pelo que sei foram grampeadas pessoas e funcionários sem caráter... envolvidos nos mais sórdidos negócios com o fim de surrupiar o patrimônio público...

  • pantaneiro | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 08h00
    7
    1

    Vixiiiiiiiiiiiiii, agora a cobra vai "fumar"! Há mais de vinte (20) anos que digo que este MPE deve sofrer uma assepsia, sob todos os aspectos! Verdadeira CASA DOS HORRORES!!!!

  • Eduardo Rodrigues | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h49
    6
    2

    Manu do paletó.solto! Riva dos 100 processos, está solto. Deputados flagrados roubando dinheiro, soltos, todos! Desembargador, a justiça não pode ser seletiva. Os militares não cometeram crimes mais graves do que esses que citei. Não roubaram. Não tiraram proveito para si. O que fizeram foi ajudar Pedro Taques a se eleger. Quiseram, como nós, que o estado mudasse. Como podiam adivinhar que era tal qual Riva, os deputados, Emanoel? Já foram penalizados demais. As delegadas que fizeram o mesmo grampo, o processo foi arquivado. Porque? O Ministério Público arquivou. As duas delegadas estavam sob a gestão de Mauro Zaque. Será que o então secretário de segurança não sabia dos grampos das delegadas, Doutor Perri?

  • caju | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h36
    5
    1

    Cadeia é pouco para Os Coroneis Jadeu e o Lesma, pq na hora que tava abafando ouvindo telefone de todo mundo tava todo lá, agora que a bomba estourou quer levar todo mundo junto pro buraco com eles, pq os dois ai já estão atolados até o pescoço, o Cabo coitado, nao o conheço mas sei como policial praça é tratado por oficiais, a culpa sempre vai para o praça, mas nesse caso o cabo estava apenas obedecendo ordens superior. Então que o fumo entre no Jadeu e no Lesma logo

  • nao informado | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h29
    6
    0

    Sabemos que o Paulo Taques viajou e levou material com ele logo que estourou o escândalo. Por que ninguém fala nada? Cadê a lista dos grampeados que é imensa e sabemos não ser só essese citados

  • Jesus | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h23
    7
    0

    Vi em outra matéria que o senhor perdoou o Cel Lesco. Eis a diferença de justiça e vingança. Errar é do ser humano. A justiça deve intervir de modo que a pessoa pague pela justa medida de seus atos. Eles ajudaram o ex governador a se eleger porque o estado estava tomado pela quadrilha de José Riva. O então senador parecia ser a redenção de tanto roubo. A maioria voltou nele como este pensamento, de que seria o melhor governador do estado. Que seria o bastião da moralidade. Acho que até o senhor, Dr Orlando, voltou em Pedro. Quem podia imaginar que por trás da fala de moralidade tinha um malandro assessorado por um bandido, seu primo Paulo Taques? Quem poderia supor? A exposição e tudo o que já passaram já pune os militares. Tem muito assassino solto. Tem político ladrão solto. Tem muito bandido de quadrilha solto. Os militares são gente honrada que almejaram um estado melhor. Este foi o crime deles. Meu aplauso para o senhor por fazer justiça e não vingança.

  • José | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h05
    6
    0

    QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

  • Jise | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 07h00
    6
    0

    Acobertado pelo MP ! Fim da picada !

  • Sasa | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 06h48
    5
    0

    É preciso trazer os nomes. Não são só esses. Faça o correto Dr Perri.

  • Marcos Paulo | Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019, 00h57
    5
    0

    Isso aí desembargador ORLANDO PERRI!!!COLOCA ESSES IRRESPONSÁVEIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRA TRABALHAR..E FORA QUE ALGUM DELES ESTÃO DEFENDENDO O PEDRO TOQUES EH UM ABSURDO!!!ESSE SOZINHOS SAVIOLA EM QUE SER EXPULSO DO MP!!!TODOS OS MILITARES DELATARAM PAULO E PEDRO E ELE COMPRANDO BRIGA PELOS 2..ONDE JÁ SE VIU??!!POPULAÇÃO INTEIRA SABE QUE PAULO E PEDRO QUEM MANDARAM!!!OS MILITARES SÃO UNS COITADOS ISSO SIM!!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS