27 de Maio de 2020,

Política

A | A

Sexta-Feira, 27 de Março de 2020, 15h:44 | Atualizado:

Em meio à polêmica, AL realiza 1ª sessão virtual nesta 6ª


Gazeta Digital

A Assembleia realizará sessão virtual nesta sexta -feira (27), às 14h, para votar o decreto de calamidade pública e o pedido de autorização de empréstimo de R$ 550 milhões à Caixa Econômica Federal, a pedido do governador Mauro Mendes (DEM). A sessão ocorrerá em meio a polêmica das medidas adotadas pelo Estado em flexibilizar o isolamento social, com a reabertura de shoppings, comércios, agências bancárias, serviços de call center (permitindo aglomeração, segundo o MP), indústrias (de qualquer tipo), concessionárias de veículos.

O presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM), saiu em defesa da decisão do governador Mauro Mendes (DEM) em flexibilizar as medidas de isolamento. "O governador fez isso com base em estudos dos profissionais da Saúde que estão orientando o governo durante a pandemia. O que ele fez foi permitir que os comércios, respeitando as exigências de segurança contra o coronavírus possa reabrir. Porque não se pode parar tudo. A crise econômica depois pode ser mais devastadora do que a doença", disse Boltelho.

"Quando o trabalhador ver o filho passar fome, ele vais sair. Não adiante pedir para ficar em casa. Então o governador agiu corretamente", completa.

Para Botelho o governo vem agindo em políticas para cuidar das pessoas e ao mesmo tempo, garantir que a econômia continue a funcionar. Eduardo Botelho sugere que Mauro Mendes chame os membros do Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho - MPE, MPF e MPT, para apresentar os estudos que levaram a reabertura do comércio através do decreto desta quinta-feira (26).

Porém, o deputado oposicionista Lúdio Cabral (PT) deverá apresentar um decreto legislativo para sustar o decreto de Mendes. Ainda é muito precipitado essa medida. Precisamos manter as medidas de isolamento até a primeira semana de abril. Eles estão sendo muito otimistas", afirmou.

Na quinta-feira (26), com o argumento de evitar uma crise econômica ainda maior no Estado, o governador Mauro Mendes (DEM) publicou o decreto 425 de 25 de março de 2020, que relaxa as medidas restritivas impostas por determinações anteriores.

Com as novas regras, o comércio em geral e os ônibus voltam a funcionar. No entanto, aulas, atividades religiosas e estabelecimentos de recreação seguem fechados. Confira o que abre e o que fecha com as novas normas.

Diante disso os MPs notificaram o governo para que ele suspendesse o novo decreto em até 24 horas, sob pena de judicialização da medida. Segundo a notificação, o decreto violou as medidas nacionais adotadas em sintonia com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Súde.

Os MPs também apresentaram um estudo afirmando que poderá ocorrer mais de 8 mil mortes em Mato Grosso, caso a transmissão do coronavírus ocorra na mesma proporção que ocorreu na China.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS