21 de Julho de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 22h:32 | Atualizado:

RISCO DE COLAPSO

Em nota, Mauro cita Deus e pede "crédito de confiança" aos fornecedores do Estado

Governador cita que só conseguirá quitar dívidas de R$ 3,9 bi após aprovação de pacote


Da Redação

caneta-mauro.jpg

 

Em nota pública na noite de hoje, o governador Mauro Mendes (DEM) pediu apoio as empresas que fornecem serviços e produtos ao Estado para que não paralisem as atividades. "Estamos tratando a situação com a seriedade que ela merece e há apenas uma forma que conhecemos para equacionar tudo isso: é colocar Deus na frente e trabalhar. 

Contamos com a parceria e que depositem um crédito de confiança em nosso trabalho", disse.

Segundo o governador, o Estado possui hoje uma dívida de R$ 3,9 bilhões com empresas, poderes e ainda em transferências aos municípios. "Assumimos o Governo no último dia primeiro de janeiro em uma situação financeira que todos os fornecedores de Mato Grosso conhecem. Com restos a pagar na ordem de R$ 3,9 bilhões. Os números se tornaram públicos na última semana, após darmos transparência ao cenário econômico e de gestão que encontramos no Estado", lamentou.

Mauro Mendes lembrou que os projetos de controle financeiro enviados para Assembleia Legislativa tem como principal objetivo melhorar a situação do caixa de Mato Grosso. Ele ainda destacou os cortes financeiros que tem sido efetuados como por exemplo a extinção de seis empresas públicas e outras nove secretarias.

Para o governador, após os projetos serem aprovados pelo Legislativo, o Estado iniciará uma nova fase. "Todas essas medidas visam o reequilíbrio financeiro do Estado, com a contribuição de todos os setores da sociedade. Nossa expectativa é que, se tudo for aprovado na Assembleia, possamos dar início ao processo de reorganização das contas públicas, com a entrada de mais recursos financeiros nos cofres do Estado e a diminuição dos gastos públicos", assinalou.

 

NOTA PÚBLICA

Assumimos o Governo no último dia primeiro de janeiro em uma situação financeira que todos os fornecedores de Mato Grosso conhecem. Com restos a pagar na ordem de R$ 3,9 bilhões.

Os números se tornaram públicos na última semana, após darmos transparência ao cenário econômico e de gestão que encontramos no Estado.

São empresas e prestadores de serviço dos mais variados segmentos, que mantêm toda a estrutura do Estado em pleno funcionamento. Desde serviços básicos e importantes como limpeza, alimentação e fornecimento de material de expediente, a compra de medicamentos, locação de viaturas e prestação de serviços médicos e hospitalares.

Os restos a pagar estão acima da capacidade econômica atual e, por isso, tomamos medidas drásticas e aguardamos a aprovação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. 

Entre as medidas estão o corte no número de cargos comissionados, de gratificação e contratados; a redução de 24 para 15 no número de secretarias e a extinção de seis empresas públicas; a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual, que estabelece normas de finanças públicas que propiciarão a contenção do déficit financeiro, reequilíbrio entre receitas e despesas e recuperação da capacidade de investimento público; estamos propondo também o aumento na contribuição do setor do Agronegócio, com o Novo Fethab, bem como outros ajustes na Tributação para a elevação da receita. Iremos implementar um gigantesco programa de combate à sonegação fiscal.

Todas essas medidas visam o reequilíbrio financeiro do Estado, com a contribuição de todos os setores da sociedade. Nossa expectativa é que, se tudo for aprovado na Assembleia, possamos dar início ao processo de reorganização das contas públicas, com a entrada de mais recursos financeiros nos cofres do Estado e a diminuição dos gastos públicos.

Com essas ações acima, queremos demonstrar aos senhores que estamos trabalhando para criar todas as condições necessárias para estancar o crescimento dos restos a pagar e dar início ao processo de quitação dos débitos, para que a população não sofra com a interrupção dos serviços públicos. 

Estamos tratando a situação com a seriedade que ela merece e há apenas uma forma que conhecemos para equacionar tudo isso: é colocar Deus na frente e trabalhar. 

Contamos com a parceria e que depositem um crédito de confiança em nosso trabalho.

Mauro Mendes

Governador de Mato Grosso

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • O atalaia | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 14h52
    0
    0

    Pedi e voto de confiança é um gesto de grandeza que demonstra amadurecimento, ao contrário da postura de MM antes da posse e no início de se mandato. Com certeza os opositores, credores e servidores vão lhe conceder um período para organizar- se e definir melhor o rumo de seu governo. A sociedade espera um governador mais atuante e .e nos falante após essa trégua...

  • Randolfe | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 12h19
    0
    0

    Tem que ter cuidado com as indicações do PSD para o Setor de Transporte Intermunicipal. Estão querendo barrar ou dificultar a Licitação do Transporte Intermunicipal e do Terminal Rodoviário

  • Nenê Bocaiuva | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 09h48
    1
    0

    Toda essa gritaria histérica do governador trata-se de bravata eleitoral; basta analisar e confrontar o que disse na campanha há 3 meses e o que diz agora, ou .........

  • Oliveira | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 09h31
    2
    0

    Engraçado este atual governador. No período de campanha se intitulava de ser o " CARA OU REVOLUCIONÁRIO" desceu o pau nos seu ex companheiros e até sócio " Pedro Taques e Silval Barbosa". Agora pouco mais de 11 dias de governo, está se atrapalhando em tudo. Atraso de salários e calote nos fornecedores. Costumes de quando era da vida privada. Vamos acompanhar as cenas dos próximos capítulos.

  • Dom Quixote de La Mancha | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 07h53
    1
    0

    Eram 2 bilhões de dívidas, agora são 3,9, onde está a transparência e a verdade? Vamos parar de mimimi e trabalhar, ou, pede para sair.

  • Cidadão comun | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 07h53
    2
    0

    Esse governador é um irresponsável e ignorante Não priorizando o salário dos servidores públicos sendo que a maioria lida diretamente com o público como um ser humano desse irá desempenhar bem seu atendimento a sociedade preocupado, sabendo que no seu lar esta passando por dificuldades e já pensou os agente da segurança que seu instrumento de trabalho é uma arma ter que ir pra rua lidar com todo o tipo de situação, Deus tenha compaixão dos servidores e da sociedade Mato grossense. E vc governador não coloque Deus nas suas maldades contra a família vai ler um pouco a bíblia que vc seu irresponsável vai ver que Deus é um Deus da Família. Já mais Deus vai se agradar das suas atitudes contra o bem estar da família a única instituição que realmente foi instituída por Deus aqui na terra. Cuidado seu governador Não brinque com Deus!

  • Cidadão comun | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 07h52
    2
    0

    Esse governador é um irresponsável e ignorante Não priorizando o salário dos servidores públicos sendo que a maioria lida diretamente com o público como um ser humano desse irá desempenhar bem seu atendimento a sociedade preocupado, sabendo que no seu lar esta passando por dificuldades e já pensou os agente da segurança que seu instrumento de trabalho é uma arma ter que ir pra rua lidar com todo o tipo de situação, Deus tenha compaixão dos servidores e da sociedade Mato grossense. E vc governador não coloque Deus nas suas maldades contra a família vai ler um pouco a bíblia que vc seu irresponsável vai ver que Deus é um Deus da Família. Já mais Deus vai se agradar das suas atitudes contra o bem estar da família a única instituição que realmente foi instituída por Deus aqui na terra. Cuidado seu governador Não brinque com Deus!

  • ZEZO FOFO | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 07h08
    1
    0

    ME PARECE QUE A CADA PRONUNCIAMENTO DO GOVERNADOR MAURO MENDES, ELE CAVA MAIS 2 METROS DA SEPULTURA ONDE ESTÁ ENTERRADO O EX GOVERNADOR. SAIR DE LÁ? NUNCA MAIS........

  • gilton aguiar | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 06h48
    2
    0

    mauro é o governador mais mentiroso que este estado já teve,ficou rico as custas do incentivo fiscal,quando foi para mostrar competencia quebrou suas empresas,agora como governador todos sabemos que o estado tem dinheiro e ele vem com essas mentiras,a culpa desse mentiroso estar no governo é do servidor publico que votou nele em peso ,agora por causa do servidor publico temos que aquentar todas essas mentiras

  • Marcos | Sábado, 12 de Janeiro de 2019, 00h39
    16
    4

    Tem é que prender esse Mauro logo no começo pra não ferrar mais ainda com o Estado. Quer abrir as portas do Estado para os amiguinhos, como o Jandir Milan e a Ábaco, para que dilapidem ainda mais o patrimônio público, pois só assim, ele tira a Bimetal do buraco. Olhem essa notícia: http://www.gcnoticias.com.br/economia/em-recuperacao-judicial-grupo-bimetal-deve-ate-para-igreja/17150736 Abram o olho população.

  • Cadê o 13° | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 23h22
    9
    8

    Tem que prender PEDRO TAQUES E FAZER O DINHEIRO APARECER....PERGUNTA PARA O CORONEL QUE CHAMA PRAÇA DE CABEÇA DE PIÇA ....SE NÃO GRAMPEOU PEDRO GAY....CADÊ O DINHEIRO DO DÉCIMO TERCEIRO...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS