07 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 15h:07 | Atualizado:

OPERAÇÃO EDIÇÃO EXTRA

Empresários negam fuga e prometem se entregar ainda hoje

Fábio e Dalmi contam que souberam de ação pela imprensa

silval-print.jpg

 

Os empresários Fábio e Dalmi Defanti, proprietários da Gráfica Print, irão se entregar nas próximas horas a Delegacia Fazendária. Eles tiveram mandados de prisão decretados após a deflagração da Operação “Edição Extra”, que combate desvio de recursos públicos através de licitações para aquisição de materiais gráficos.

Os rombos podem chegar a R$ 40 milhões. De acordo com nota encaminhada pela assessoria de imprensa da gráfica Print, os dois irmãos estavam no interior do Estado em viagem a trabalho. "Ambos tomaram conhecimento da operação policial na manhã desta quinta-feira pela imprensa e buscaram informações a cerca da investigação. Os empresários já estão em deslocamento para Cuiabá para se apresentarem na Delegacia Fazendária”, diz a nota.

Na nota, os empresários negam que tenham planejado fuga com objetivo de evitar a prisão. Eles alegam que não tem conhecimento do teor das investigações, mas prometem colaborar com os trabalhos da polícia. “Os advogados da Gráfica Print ainda não tiveram acesso ao processo e estão acompanhando todo os pedidos de busca e apreensão na gráfica. Neste sentido, mais esclarecimentos serão dados após o conhecimento do processo investigatório”, completa.

A Operação foi deflagrada para cumprir seis mandados de prisão e 16 de busca e apreensão. Porém, quatro envolvidos que tiveram a prisão decretada continuam foragidos. Além de Fábio e Dalmi, o empresário Jorge Defanti, da Gráfica e Editora Defanti, e o diretor da Print, Alessandro Francisco Teixeira Nogueira, estão sendo procurados pela polícia. 

Já os secretários-adjuntos de Comunicação, Elpídio Spiezzi Junior, e de Administração, coronel José de Jesus Nunes Cordeiro, tiveram os mandados de prisão cumpridos. Já as buscas e apreensões foram cumpridas nas residências dos envolvidos e nas empresas Gráfica Print, Gráfica Defanti, Cada D’Ideias Marketing e Gráfica JR Gusmão.

As investigações da operação iniciaram com denúncias em fraudes em licitação envolvendo a Secretaria de Estado de Comunicação e a Secretaria de Estado de Administração junto ao segmento de empresas do ramo de gráficas.

A delegada Liliane de Souza Murata Costa informou que as fraudes são referente ao  pregão nº 93 do ano de 2011 e o contrato de 2012, no valor de R$ 40 milhões. Os suspeitos poderão responder por fraudes a licitação, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em relação a operação da Delegacia Fazendária realizada nesta quinta-feira (18), denominada Edição Extra, esclarecemos que:

1- Os Empresários Fábio e Dalmi Defanti, sócios-proprietários da Gráfica Print, estão a trabalho no interior do Estado de Mato Grosso.

2- Ambos tomaram conhecimento da operação policial na manhã desta quinta-feira pela imprensa e buscaram informações a cerca da investigação.

3- Os empresários já estão em deslocamento para Cuiabá para se apresentarem na Delegacia Fazendária.

4- Também reforçamos que em nenhum momento os empresários planejaram eventual fuga como tem sido noticiado.

5- Eles já se manifestaram em colaborar com toda a investigação e se colocam a disposição para prestar devidos esclarecimentos assim que retornarem a Cuiabá.

6- Os advogados da Gráfica Print ainda não tiveram acesso ao processo e estão acompanhando todo os pedidos de busca e apreensão na gráfica. Neste sentido, mais esclarecimentos serão dados após o conhecimento do processo investigatório.

VEJA MAIS

Polícia aponta secretários como arquitetos e prevê novas fases

Empresário delatou esquema e agência é também alvo de operação

Três irmãos donos de gráficas estão foragidos; grupo montou pregão

Operação caça 6 empresários e secretários em fraude de R$ 40 mi no Governo de MT

 



Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Dornele$ | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 16h28
    4
    0

    Quem fugiu foi o zé neguinho. Caboclo de colarinho branco não foge. Da uma sumida do mapa!

  • pantaneiro | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 15h44
    9
    0

    Abão, então tá, vou acreditar na nota!!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS