05 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 15h:24 | Atualizado:

MEDIDA PALIATIVA

Estado repassa R$ 119 milhões para poderes pagar salários

Valor referente aos encargos, que somam R$ 25,819 milhões, será repassado na próxima semana

taques-poderes.jpg

 

O Governo do Estado, após dialogar com cada chefe de Poder e de órgãos autônomos, repassa, nesta sexta-feira (2), R$ 119,166 milhões de duodécimo. A Secretaria de Fazenda (Sefaz) informa que o valor corresponde à folha salarial líquida de janeiro de 2018, para que as instituições possam honrar com o pagamento dos vencimentos dos respectivos servidores.

Em virtude do fluxo de caixa registrado até o momento, o valor referente aos encargos, que somam R$ 25,819 milhões, será repassado na próxima semana. Diante do cenário de crise, o governador Pedro Taques e o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, estão se reunindo diuturnamente e acompanhando o fluxo financeiro do Tesouro, com vistas a buscar saídas de curto, médio e longo prazos para equacionar tanto a questão dos repasses, quanto a do pagamento dos salários dos servidores do Executivo. “Mais ajustes terão que ser feitos para permitir que a receita efetivamente disponível consiga fazer frente às despesas. Medidas imediatas terão que ser tomadas para evitar o colapso financeiro em Mato Grosso”, afirma o secretário Gallo.

A relação de Taques com os poderes está "apimentada" após a proposta de utilizar 20% do custeio até abril para pagamento de uma dívida de cerca de R$ 130 milhões do Estado com o Bank of America. O Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa não concordaram com a proposta, sendo que o Tribunal de Contas e o Ministério aceitaram a ideia.

 

 

 



Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Tito Lampreia | Sábado, 03 de Fevereiro de 2018, 10h46
    1
    0

    Problema maior está na base de arrecadação! ISENÇÃO demasiada ao Agronegócio gerou esse Caos! Todos serão atingidos até que essa turma(botinas) realmente contribuía com a sociedade.

  • Do Interior | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 21h26
    15
    1

    O judiciário brasileiro é assim mesmo: se é o servidor do executivo que está com dificuldades para receber o seu sustento, tudo bem. Mas se acontece com ele, é guerra na certa. E nisso, a maioria dos juizes vão ganhando seus salários bem acima do teto constitucional. Se a pimenta cai no olho dos outros, vira refresco, mas vier com a pimenta para cima do juiz vira constrangimento ao Estado de Direito.

  • Sem noção | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 19h31
    13
    2

    Um orçamento mal feito, em que os poderes recebem duodécimo muito além de suas necessidades da nisso, bagunça total.

  • Cidadão | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 18h43
    17
    3

    Com o judiciário não se brinca. Só ele tem o poder de mandar prender quem lhe desobedecer. O molusco tá sentindo na pele isso e a qualquer momento vai ver o sol nascer quadrado.

  • Tiage | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 17h56
    19
    6

    Quem sofre e paga o pato por último é os servidores do executivos, último a receber, os poderes do judiciário e legislativo são os primeiros a pagarem os funcionários, governo da elite.

  • EDSON CARLOS | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 17h52
    9
    2

    Não fez mais que a obrigação

  • Mariazinha | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 17h42
    11
    1

    Como vemos , o ¨pé no suspiro¨(72 horas!!!) colocado pelo TJ ,era só um pedaço da ópera do malandro : FAÇO DE CONTA E VOCÊ FAZ BEICINHO !!!

  • Carlos | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 16h20
    32
    4

    Parabéns Ministério Público, significa que está tendo sobra no orçamento, inclusive podendo comprando férias de promotores, e funcionários. Absurdo

  • Ambrósio | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 16h01
    32
    1

    Mais uma vez vai sobrar pros servidores do executivo.

  • Teka Almeida | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 15h57
    23
    0

    Como esse DESgoverno é engraçado, quando o presidente do sindicato do judiciário veio a público falar dos processos que iria entrar na justiça foi logo procurando a mídia para dar a sua resposta. Quando o TJ e AL veio a público falar das medidas tomadas para receber o que são devido, recolheu-se, nada de nadica de retrucar e nem de frases de efeitos como costuma a falar. Nada como recolher-se a sua insignificância. Isso que chamo de TRANSFORMAÇÃO.

  • alexandre | Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 15h53
    22
    3

    tem que pagar o salario pra todos, inclusive os Poderes, e não apenas 250 milhoes pro judiciário gastar em palácios de vidro..

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS