19 de Outubro de 2019,

Política

A | A

Quarta-Feira, 09 de Outubro de 2019, 16h:36 | Atualizado:

HECATOMBE PANTANEIRO

Ex-deputado chama documento de apócrifo; nega delação e quer achar vazadores em MT

José Riva afirma que tem colaborado com a Justiça, mas sem assinar nenhum acordo de delação premiada


Da Redação

riva-george.jpg

 

O ex-deputado estadual José Geraldo Riva negou, em nota, as revelações feitas pelas matérias baseadas no documento de 105 páginas que circula na imprensa desde o domingo (8). O ex-parlamentar classificou as declarações, supostamente atribuídas a ele, como "apócrifa". O documento vinha sendo tratado como uma proposta de colaboração premiada do ex-presidente da Assembleia Legislativa junto ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado).

Entre os crimes que seriam "revelados" por Riva, está o pagamento de R$ 175 milhões a título de "mensalinho" para 38 de deputados que passatam pela Assembleia Legislativa ao longo dos 20 anos em que se alternou como presidente ou primeiro-secretário da Mesa Diretora do legislativo estadual. O documento também cita um esquema de R$ 100 milhões que seria pago a uma empreiteira para desistir de participar da licitação para construção da Arena Pantanal e ainda um esquema para compra de vagas de conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

"Os documentos apócrifos que têm circulado perante os meios de comunicação, intitulado como sendo “proposta de colaboração premiada” jamais foram subscritos pelo ex-Deputado", diz trecho da nota.

No esclarecimento divulgado às redações nesta quarta-feira (09), Riva disse que vem colaborando com a justiça religiosamente e de boa vontade, mas jamais protocolou quaisquer papeis com as supostas revelações ao MPE (Ministério Público Estadual) e muito menos firmou qualquer acordo de delação premiada com a instituição. "Tem plena convicção que os sobreditos documentos não foram fornecidos pelo MP/MT, até porque o ex-Deputado, como já dito, jamais os assinou", completou.

A nota encerra avisando que o ex-deputado vai responsabilizar judicialmente todos os responsáveis pela distribuição dos “malsinados documentos”.]

 

NOTA PÚBLICA

O ex-Deputado Estadual José Geraldo Riva, tendo em vista as matérias recentemente publicadas na mídia, envolvendo o seu nome em suposta Delação Premiada, celebrada com o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, vem esclarecer que:

1) Os documentos apócrifos que têm circulado perante os meios de comunicação, intitulado como sendo “proposta de colaboração premiada” jamais foram subscritos pelo ex-Deputado;

2) Os referidos documentos jamais foram protocolizados junto ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso;

3) Tem colaborado já há algum tempo com as investigações promovidas pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, porém não firmou, até a presente data, nenhum acordo de delação premiada com o MP/MT;

3) Tem plena convicção que os sobreditos documentos não foram fornecidos pelo MP/MT, até porque o ex-Deputado, como já dito, jamais os assinou;

4) Está adotando as medidas jurídicas necessárias para identificar os autores e responsabilizá-los pela distribuição dos malsinados documentos.

Cuiabá/MT, 09 de outubro de 2019

Ex-deputado José Geraldo Riva”

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Clara Silva | Quarta-Feira, 09 de Outubro de 2019, 18h01
    3
    0

    Delação à la Silval. Pouca prova e muito impacto político.

  • Klabin | Quarta-Feira, 09 de Outubro de 2019, 17h20
    0
    0

    Caçador? Uai se não existe não há vazamentos. Agora que tem que punir esses funcionários que vazam tem sim. É crime!

Matéria(s) relacionada(s):

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS