07 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 07 de Julho de 2020, 08h:50 | Atualizado:

PROCESSOS DE CORRUPÇÃO

Ex-esposa de “braço direito” de Silval tenta desbloquear imóvel na Justiça

Juíza pediu que partes do processo se manifestem sobre a possibilidade de julgamento antecipado da ação


Da Redação

silviocorrea.jpg

 

A ex-esposa de Silvio Cezar Corrêa, ex-Chefe de Gabinete do ex-governador Silval Barbosa, tenta desbloquear um imóvel na Justiça. A propriedade sofreu a restrição no âmbito de uma ação judicial que apura o recebimento de uma suposta propina do ex-deputado estadual Carlos Antônio de Azambuja, das mãos do próprio Silvio Corrêa.

De acordo com informações do processo, a mulher que se diz a verdadeira proprietária do imóvel adquiriu o bem, localizado em Cuiabá, antes de se casar com Silvio Corrêa, em setembro de 2013. O casal ficou apenas sete meses junto, se divorciando em abril de 2014.  

A discussão tramita na vara de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, sob a condução da juíza Célia Regina Vidotti. Em despacho publicado na sexta-feira (3) ela questionou se as partes (Silvio Corrêa e sua ex-esposa) concordam em realizar o julgamento da ação na fase em que o processo se encontra – ou seja, sem a necessidade de produção de outras provas.

“Intimem­-se as partes a manifestar se concordam com o julgamento do processo no estado em que se encontra ou se pretendem produzir provas. Se houve interesse em remeter o feito à fase instrutória, as partes deverão, no prazo de dez dias, especificar as provas que pretendem produzir, justificando o que com elas pretendem comprovar, sob pena de preclusão”, determinou a juíza..

BLOQUEIO

O imóvel em disputa pelo ex-casal foi bloqueado em 2018 no âmbito de uma ação que apura o recebimento de uma suposta propina pelo ex-deputado estadual Carlos Antônio de Azambuja, o “Dr. Azambuja”. Ele foi flagrado por uma câmera oculta instalada no gabinete de Silvio Cezar Corrêa, no Palácio Paiaguás.

Além de Azambuja, outros parlamentares da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) também foram gravados recebendo dinheiro das mãos do próprio Silvio Corrêa. As imagens ganharam repercussão nacional após sua veiculação numa reportagem do Jornal Nacional que foi ao ar em agosto de 2017.

A ação que tramita no Poder Judiciário Estadual tem como réus o ex-governador Silval Barbosa, o ex-secretária adjunto de transportes e pavimentação urbana, Valdir Juliano Viriato, o ex-secretário da Secopa, Maurício Guimarães, o ex-Chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf – além de Azambuja e Silvio Corrêa.

Em 2018 a juíza Celia Regina Vidotti determinou o bloqueio de R$ 1 milhão do grupo.

    

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS