20 de Setembro de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 08h:31 | Atualizado:

OPERAÇÃO CAPITU

Ex-secretário de ministério, matogrossense também é preso pela PF


Da Redação

rodrigofigueiredo.jpg

 

Além de Neri Geller, outro político ligado a Mato Grosso foi preso na “Operação Capitu” foi preso na manhã desta sexta-feira (9) pela Polícia Federal. Trata-se do mato-grossense Rodrigo Figueiredo.

Figueiredo foi detido por sua atuação enquanto secretário de Defesa Agropecuária, pasta ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ele ocupou a função entre março e dezembro de 2014, período em que Neri foi ministro da Agricultura, ainda no 1º mandato de Dilma Roussef (PT) como presidente da República.

Apesar de não ser conhecido em território mato-grossense, Figueiredo é político de forte articulação em Brasília. Ligado ao PP, já foi secretário-executivo do Ministério das Cidades e chegou a assumir a pasta por algumas vezes.

Também já representou os interesses de Cuiabá na capital federal. Durante a gestão do governador eleito Mauro Mendes (DEM) na prefeitura, foi responsável pelo Escritório de Representação de Mato Grosso em Brasília.

Ainda não há informações sobre os motivos das prisões de Geller e Figueiredo, já que a Polícia Federal ainda está cumprindo os mandados.

Ao todo, foram 19 ordens de prisão expedidas. Uma delas, contra o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB-RJ), que já se encontrava detido.

CONFIRA OUTROS ALVOS:

• Antonio Andrade, vice-governador de Minas e ministro da Agricultura de março a dezembro de 2014

• Joesley Batista, dono da JBS

• Ricardo Saud, executivo da JBS

• Demilton de Castro, executivo da JBS

• João Magalhães, deputado estadual pelo MDB de MG

• Neri Geller, deputado federal eleito pelo PP de MT e ministro da Agricultura de março a deZembro de 2014

• Rodrigo Figueiredo, ex-secretário de Defesa Agropecuária

• Mateus de Moura Lima Gomes, advogado

• Mauro Luiz de Moura Araújo, advogado

• Ildeu da Cunha Pereira, advogado

• Marcelo Pires Pinheiro

• Fernando Manoel Pires Pinheiro

 

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • otaniel | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 15h56
    0
    0

    Na verdade foi pago um "mensalinho" de 250 mil e o Rodrigo Figueiredo pegava a grana e só repassou uma vez para o Neri Geller. Agora quer fazer delação e certamente vai dizer que recebeu 43 vezes........Por isso é que estão falando que o Neri pode pegar até 120 anos.

  • Cidadão Matogrossense | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 11h22
    2
    0

    LADRÃOOOO!!!!

  • Analista Politico | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 10h15
    9
    1

    Agora o povo está entendendo a razão de certas nomeações em Brasília, o cara é nomeado exclusivamente para ROUBAR, ROUBAR e ROUBAR para o seu apadrinhado político. E, digo mais, o parlamentar que mais tem EMENDA LIBERADA não é o que mais trabalha, pode ter certeza é o MAIS CORRUPTO, quanto mais corrupto for, mais benesses tem do GOVERNO.

  • Raimundo | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 09h10
    8
    1

    Até a cara é de mala, eu prenderia só por essa cara!

  • RENATTUS | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 08h52
    10
    0

    RODRIGO FIGUEIREDO SALVO ENGANO É FILHO DE UM POLITICO MATO-GROSSENSE FAMOSO NOS ANOS 60 /70 CHAMADO MILTON DE FIGUEIREDO - SAFADINHO O GAROTO O FINADO PAI HUM......

  • Chico Butija | Sexta-Feira, 09 de Novembro de 2018, 08h46
    9
    2

    Ligado ao PT (Estado Islâmico brasileiro) e a MM.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS