23 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 10h:25 | Atualizado:

CALOTE HÁ 18 ANOS

Juíza confisca dinheiro de venda de gado de deputado de MT para pagar gráfica

Bezerra é cobrado de uma dívida com gráfica no valor de R$ 1 milhão às eleições de 2002


Da Redação

bezerra-sorriso.jpg

 

A juíza da 10ª Vara Cível de Cuiabá, Sinii Savana Bosse Saboia Ribeiro, determinou o “levantamento”, ou seja, a liberação de valores bloqueados da conta bancária do deputado federal Carlos Bezerra (MDB-MT). A medida favorece a Gráfica Editora Centro Oeste, que cobra uma dívida de R$ 1 milhão do parlamentar referente às eleições do ano de 2002, quando Bezerra se candidatou ao Senado na mesma chapa do ex-governador Dante de Oliveira (falecido em 2006).

A decisão foi publicada na última quarta-feira (22). Bezerra tentou suspender o bloqueio de sua conta por meio de um recurso alegando que se tratam de valores referentes ao seu salário como deputado federal.

A juíza, porém, explicou que não há informações sobre o recebimento de recursos a título de salário – e sim de outras verbas, como um crédito de R$ 67.477,95 do frigorífico Frigosul (SulBeef), de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. A negociação teria envolvido a venda de gado. “Consta no extrato bancário a informação do recebimento de crédito depositados por Frigosul, não havendo comprovação da origem salarial deste valor, além de outros valores creditados sem especificação exata de origem, assim, não se faz possível considerar que o valor bloqueado provém do salário do executado, motivo pelo qual indefiro, por ora, a liberação postulada”, revelou a juíza.

Na sequência, a juíza determinou que os valores fossem remetidos à gráfica. Ela não detalhou o montante exato que foi liberado – que pode ou não satisfazer a dívida de R$ 1 milhão cobrada pela organização. “Não sendo atribuído efeito suspensivo em eventual recurso, expeça-se alvará em favor do exequente para levantamento da quantia bloqueada nos autos”, argumentou a magistrada.

Segundo informações do processo, a defesa de Bezerra tenta anular a cobrança de um dos cheques que teriam sido dados por ele como pagamentos por serviços prestados pela gráfica sustentando que a promissória está em posse de uma factoring. O parlamentar alega que não possui relação jurídica com a organização.

Nas eleições de 2002, Carlos Bezerra se uniu ao ex-governador Dante de Oliveira para disputar o Senado. Ambos, porém, foram derrotados por Jonas Pinheiro e Serys Slhessarenko.

 

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Bernardes | Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 14h46
    2
    0

    Gente, isso é um milague!! Esse homem nunca pagou ninguém. Isso é inédito na historia desse país. Esse indivíduo, ja tem o apelido de: ratazanas da barriga branca. Calão Trintão, (pq ele cobra 30% dos prefeitos referentes as liberações das verbas dos seus projetos). Deus me livre desse homem. Ele ja ta parecendo um camaleão, um teú, um largato. 😂😂😂😂

  • Povinho mediocre esse de MT | Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 11h58
    7
    0

    Elegem um caloteiro desqualificado como esse bezerra, um puxa-saco ignóbil como aquele josé medeiros, um ignorante semi-analfabeto como aquele barbudo, os coronéis campos...povinho sem- vergonha tem mais é que se ferrar mesmo pra deixar de ser burro.

  • Pacufrito | Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 11h38
    11
    0

    Este é um dos maiores pilantras imoral que a política já produziu

  • Crítico | Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 10h58
    12
    0

    Kkkkkkkkk além de caloteiro costumaz e bem mentiroso, se lascou kkkkkkkk, interessante como que existe dois pesos e duas medidas quando o caloteiro é político, demora anos para se fazer justiça, se é um cidadão comum ou um empresário é Rapidão ser condenado. Esses canalhas sabe o caminho certo onde recorrer e tem sempre um juíz amigo ou amigo do amigo para protelar o processo acreditando que um dia ele prescreve. Tomou papudo.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS