07 de Dezembro de 2019,

Política

A | A

Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019, 18h:08 | Atualizado:

ARCA DE NOÉ

Justiça aceita ex-deputado e ex-juiz como testemunhas de bicheiro em MT

Gilmar Fabris e José Geraldo da Rocha Barros substituem Celson Bezerra e Sarita Baracat, ambos já falecidos


Da Redação

arcanjo-giovani-folhamax

 

 

O ex-deputado Gilmar Fabris será uma das testemunhas de defesa do bicheiro João Arcanjo Ribeiro em ação penal derivada da Operação Arca de Noé. Ao lado dele, também foi arrolado o juiz aposentado compulsoriamente José Geraldo da Rocha Barros Palmeira. Eles substituirão o empresário Celson Luiz Duarte Bezerra e a ex-deputada e ex-prefeita de Várzea Grande Sarita Baracat de Arruda, ambos já falecidos.

A decisão judicial foi publicada na edição desta segunda-feira (11) do Diário Oficial do TJMT (Tribunal de Justiça de Mato Grosso) e inclui também a ordem para expedição de Cartas Precatórias para inquirição de Raquel Alves Coelho e Kátia Maria Aprá. A audiência está marcada para as 16h30 do próximo dia 27 e quem assina a determinação é a juíza Ana Cristina Silva Mendes, que deferiu um pedido feito pela defesa do bicheiro João Arcanjo Ribeiro.

“Considerando o requerimento, defiro a substituição das testemunhas de defesa Celson Luiz Duarte Bezerra e Sarita Baracat de Arruda, falecidas, por José Geraldo da Rocha Barros Palmeira e Gilmar Donizete Fabris. Outrossim, a teor do disposto no artigo 399, designo audiência de instrução e julgamento(...). Intimem-se/requisitem-se as testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa, conforme cada caso. Intimem-se, ainda, o acusado pessoalmente, e sua defesa, via DJe. Ciência ao Ministério Público”, escreveu a magistrada no último dia 04.

O processo refere-se a uma das ações derivadas na Operação Arca de Noé. Arcanjo é acusado de trocar cheques da Assembleia Legislativa para empresas "fantasmas". O objetivo era "financiar" o grupo que estava no comando do poder legislativo.

Com isso, a Assembleia fraudava licitações e firmava contratos com empresas fantasmas. Estas, por sua vez, trocavam os cheques do parlamento com as factorings do bicheiro, que já havia adiantado os valores para os deputados que comandavam a Mesa Diretora, especialmente José Riva e Humberto Bosaipo.

TESTEMUNHAS

Celson Luiz Duarte Bezerra morreu na madrugada do dia 3 de outubro de 2018 em sua casa, em Cuiabá, devido a um enfarto fulminante. Era um dos empresários investigados na mesma Ararath e chegou a ser preso por duas vezes por isso. Dono de factoring, foi alvo de mandado de busca e apreensão em sua mansão no condomínio de luxo Florais Cuiabá, em novembro de 2015.

Naquele dia, ao perceber a chegada de policiais federais, ordenou que sua funcionária deixasse o local pelos fundos com uma mochila com documentos, mas uma equipe da Polícia Federal percebeu a manobra, abordou a funcionária e ela confirmou a história. Foi preso por obstrução de justiça. Ficou recluso por quase seis meses, até ser libertado por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). Foi preso novamnete em maio daquele mesmo ano.

Cumprindo medidas cautelares, obteve autorização da Justiça Federal para ir a São Paulo fazer tratamento de saúde. Contudo, policiais o monitoraram e constataram que ele sequer se consultou, apesar de ter apresentado atestado médico.

O juiz Jeferson Schneider considerou o ato, da 5ª Vara Federal, como obstrução e Justiça e determinou sua nova prisão. Foi solto apenas no dia 30 de agosto do mesmo ano, por decisão do desembargador federal Néviton Guedes, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região.

Sarita Baracat de Arruda morreu aos 86 anos, no dia 9 de outubro de 2017, em sua casa, localizada na região metropolitana de Cuiabá. Primeira prefeita de Várzea Grande, teve uma parada cardíaca e foi velada na Conferência Nossa Senhora do Carmo. Fazia parte de uma das famílias mais tradicionais da segunda maior cidade de Mato Grosso.

Foi advogada, professora e contadora, secretária de Estado de Educação e secretária da Auditoria Geral do Estado (atual Controladoria Geral), deputada estadual e primeira mulher a fazer parte da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

Era filha de imigrantes sírios, Miguel Baracat e Warda Zain Baracat, naturais de Damasco, capital da mesma Síria que arde em uma guerra civil que se arrasta por quatro anos com anuência do ocidente. Sarita foi uma das matriarcas das primeiras gerações dos refugiados sírios a nascer no Brasil.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Epifania Ayala | Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019, 08h37
    0
    0

    Não da para acreditar que um bandido ladrão de dinheiro publico, (Gilmar Fabris), pode defender um assassino Arcanjo Ribeiro, só aqui mesmo, terra de ninguem.

  • J.José | Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019, 00h09
    2
    0

    Celson faleceu? Ñ sabia?

  • J.José | Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019, 00h07
    3
    0

    Celson o homem da mala.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS