16 de Junho de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 18h:24 | Atualizado:

SEM EFEITO PRÁTICO

Mauro admite fazer "greve" no Estado


Gazeta Digital

maurofaixa.jpg

 

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou nesta quinta-feira (10) que o calendário planejado para os salários atrasados desde dezembro já propiciou pagamento a cerca de 80% dos servidores. “Alguns que ganham mais vão receber ao longo do mês”, disse o chefe do Poder Executivo.

Ele usou os dados para argumentar contra a possibilidade de uma greve geral, algo que foi veiculado pelo fórum sindical na quarta-feira. Segundo o governador, paralisar as atividades não ajudaria em nada. “Se alguém provar para mim que se fizer greve vai resolver os problemas de Mato Grosso, eu serei o primeiro a entrar em greve”, destacou o democrata em tom de ironia.   

Ciente dos atraso e buscando soluções, Mendes entregou nesta quinta, na Assembleia Legislativa, o pacote de leis, denominado “Pacto por Mato Grosso”, que busca estabelecer parâmetros legais para o enfrentamento das dificuldades financeiras às quais enfrenta o Estado.  

Os projetos são referentes à reforma administrativa, que visa reduzir de 24 para 15 secretarias e pede autorização ao Legislativo para a extinção de 6 empresas mistas, à reedição do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab), garantindo que 25% da arrecadação sejam destinados exclusivamente à Secretaria de Infraestrutura para a manutenção das rodovias estaduais.  

Também foi protocolado projeto de lei para a regulamentação de critérios na concessão da Revisão Geral Anual (RGA), além de proposta para a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), buscando equilíbrio financeiro para o Estado. Para esclarecer sobre o planejamento, o político fez uma comparação com uma situação cotidiana. “Em Mato Grosso é mais ou menos como um carro andando numa estrada de chão, cheia de atoleiro, cheia de dificuldades e o carro atola. Quando o carro atola, se você desce do carro, olha, analisa, cria uma estratégia, vai no meio do mato, corta um pau, joga uma pedra, tira o barro, bota o volante na direção certa, Alguém que está dentro do carro desce pra aliviar o peso, um empurra, põe um motorista mais experiente no volante, mexe direitinho, você sai do atoleiro”, comparou Mauro Mendes. “Se você atola, não quer sair do carro e começa a fazer ‘rum, rum’... o que é que acontece? Atola mais ainda. Então nesse momento de grande crise nós precisamos ter estratégia, saber o que fazer, tomar medidas corretas, finalizou o governador.

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • Joao Paulo | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 09h00
    4
    0

    Ta com ironia é?? POIS VAI TER GREVE SIM!!! Greve serve pra vc assinar seu atestado de incompetência! Se tem greve é pq a coisa não ta sendo resolvida nem conversada!

  • alexandre | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 08h36
    3
    0

    Na verdade, desde 2009 esse modelo de gestão fiscal vem sendo praticado no Estado. Com efeito, enquanto a inflação acumulada no período 2009-2018 foi de 75,6% , o gasto com duodécimo dos poderes cresceu 144% , passando de R$ 938,8 milhões para R$ 2,3 bilhões. A despesa com duodécimo da Assembléia Legislativa cresceu 135% , passando de R$ 215,4 milhões em 2009 para R$ 506,8 milhões em 2018. A despesa com duodécimo do Tribunal de Contas cresceu 188% , mais que o dobro da inflação do período, passando de R$ 124,1 milhões para R$ 357,7 milhões. A despesa com duodécimo do Tribunal de Justiça cresceu 132% , passando de R$ 437,9 milhões para 1,01 bilhão. Já a despesa com duodécimo do Ministério Público cresceu 154% no período, passando de R$ 161,3 milhões para R$ 410,5 milhões

  • Sergio | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 22h46
    3
    22

    MM é um governador de decisão e firma na arrumação da casa. Diferente do presidente.

  • Mauro Desinformado | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 22h11
    8
    2

    É, pelo jeito entregando a TI do estado para a Ábaco e para a Stelmat, praticamente tira o motor do carro. Se conseguir desatolar vai ser só quando a chuva passar e a situação melhorar. Mas não vai sair do lugar.

  • Diana Rocha | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 21h32
    14
    2

    Boa noite! Governador Mauro, V.Exa podia racionar um mesmo e deixar de firula, viu q o Estado esta c dificuldades financeiras, porque n usou de bom senso e esperou p tomar atitude de retornar as 08:00 no início de seu governo? Porque não nos deu 90 dias do seu governo as 06:00, até equacionar a economia e depois retornarmos as 08:00, a ideia n era economizar? Agora fica nesse mimimi taxando-nos como pode expiatório de seu governo. Explica p a população a receita pública e a receita corrente? Não são mais de 22.000.000,00 bilhões? Para onde está indo esse dindin.

  • Contribuinte | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 21h14
    8
    10

    Sou contra greve, pois um dos maiores problemas é na educação com crianças fora da escola e tantos outros transtorno que gera, mas depois dessa fala "irônica " do Sr Governador merece fazer uma greve bem extensa.

  • Catarina | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 20h04
    27
    4

    O quê o governador ainda tira sarro isso quer dizer que ele não está nem aí com os servidores. Engraçado que na campanha não foi assim

  • Indignado | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 19h48
    20
    3

    Traidor dos servidores,pior do que o Taques!Faz greve na suas empresas!

  • Paolo Santos | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 19h23
    27
    8

    TOOOOOOOOMAAAAAAAA BANDO DE OTÁRIOS PENSANDO QUE ESSE CALOTEIRO FOSSE O SALVADOR DA PÁTRIA KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

  • PANTANAL | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 19h20
    24
    8

    OLA E SO O COMEÇO , E BOM PRO FUNCIONARIOS PUXA APRENDEREM

  • MAURO VG | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 19h19
    6
    42

    Caros servidores públicos, vamos dar um tempo para o Mauro Mendes colocar as coisas em ordem, como sabemos ele pegou um estado totalmente falido, onde o governante anterior passou 04 anos olhando no retrovisor e deixou de fazer o que era preciso para ajustar as contas do estado. O Mauro tem 10 dias apenas no governo, se tem alguém errado é o Pedro Taques, então vamos deixar de mimimi e esperar as coisas acontecerem! se por ventura as coisas piorarem, aí sim vocês podem sair para a rua e fazer greve, manifestação e tudo o mais que quiserem! O Mauro é gestor e sabe administrar, não adianta colocar a faca no pescoço dele agora, pois, garanto que ele conseguirá tirar o estado desse atoleiro e valorizar os servidores no futuro.

  • Marcelo | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 19h08
    35
    3

    Não consigo entender como um dos estados mais ricos do País, está falido. Onde vai parar todo dinheiro arrecadado?? Esse estado não arrecada impostos?? Ou as GRANDES empresas não precisam pagar impostos. E os BARÕES do agronegócio?? Esse governo é fraco demais.

  • HELO | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 18h56
    44
    5

    SENHOR GOVERNADOR, O SENHOR FOI ELEITO POR FALTA DE ALTERNATIVAS. PORTANTO SE NÃO TEM COMPETÊNCIA, RENUNCIE E DEIXE DE FAZER IRONIAS COM O SERVIDOR PÚBLICO. NÃO SOMOS SEUS EMPREGADOS, NÃO TRABALHAMOS EM SUAS EMPRESAS FALIDAS PELA SUA PROPRIA INCOMPETÊNCIA

  • servidor indignado | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 18h47
    28
    2

    o povo matogrossense, particularmente o eleitor trabalhador, espoliado pelo sistema econômico perverso, concentrador de renda e que escraviza sua mão de obra tem que definitivamente abrir os olhos para quem elege, muitos vendem o céu e o paraiso na campanha eleitoral, dizendo que irão combater as desigualdades sociais e pagar os direitos trabalhistas, e depois de eleito vira isso aí que estamos vendo, culpar os trabalhadores pelos problemas do estado, e se esquecem de combater o raiz de todo mal, que está na sonegação, nos incentivos fiscais indevidos, na carga tributária injusta e que penaliza somente a classe trabalhadora. temos que afirmar a essa gente que vende esse discurso que isso não é verdade, e que o funcionalismo publico é a solução e não problema. é preciso num momento como esse que estamos vivendo aqui em mato grosso que não aceitamos o discurso dessa elite insana e responsável pela desgraça social no país e nesse estado, de culpar o funcionalismo publico e apontar em nós a metralhadora giratória. temos que resistir, lutar e revelar para a sociedade quem são os responsáveis pela desigualdade social, concentração de renda, sonegação de bilhões do erário publico e pelos escândalos de corrupção. com certeza, nós, servidores públicos, somos vítimas!"!"!"!"!"!"!"!"!"

  • Antônio | Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 18h32
    37
    3

    O cara ainda tira onda kkkkk.... quero vê piorar quando a greve estiver em 2 ou 3 meses...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS