18 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro de 2014, 17h:40 | Atualizado:

OPERAÇÃO ARARATH

Mendonça doa R$ 230 mil a Taques e emplaca filha no gabinete no DF

Filha de alvo da Operação Arath é funcionária do gabinete do senador do PDT


DA REDAÇÃO

Alvo de investigação da Polícia Federal na Operação Ararath pela suspeita de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro nacional, o empresário Fernando Mendonça França mantém relações próximas com o senador Pedro Taques (PDT). Além de aparecer como principal doador financeiro na campanha eleitoral de 2010, montante de R$ 230 mil do total arrecadado de R$ 1,1 milhão, Fernando Mendonça exerceu a função de secretário geral do diretório municipal do PDT, no período de 16 de agosto de 2012 a 25 de setembro de 2013.

Internauta

FERNANDO-ARARATH

Taques ao lado de Mendonça (verde), Bortolotto (rosa) e Minosso (branco)

 

Ele comandava o partido juntamente com outros empresários. Dentre Eles, Juliana Bortolotto (Todimo) e Fernando Minosso (Posto Zero Quilômetro).

Mesmo fora da direção partidária, Mendonça ainda é filiado ao PDT, conforme certidão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Além disso, Mendonça emplacou a filha para trabalhar no gabinete do senador Pedro Taques. Conforme, informação disponível no site do parlamentar, Ariane Mendonça trabalha no gabinete do parlamentar em Brasília e dá suporte a área de comunicação fazendo a manutenção do site pessoal do parlamentar. 

Eleito para o mandato de senador da República com 780 mil votos em 2010, após deixar o Ministério Público Federal na condição de procurador da República, Taques é considerado um dos melhores senadores do país, com foco em combate à corrupção e segurança pública, conforme avaliação de especialistas pelo site Congresso em Foco. Cotado para ser candidato ao governo do Estado, Taques tem mantido conversas com diversos partidos políticos para viabilizar o projeto de chegar ao Palácio Paiaguás. 

No entanto, as ligações com Fernando Mendonça podem prejudicar o projeto político e eleitoral, já que Pedro Taques sempre construiu uma imagem social de "transparência e honestidade". Dividida em 4 fases, a Operação Ararath da Polícia Federal já atingiu autoridades como o juiz federal Julier Sebastião da Silva, alvo de mandado de busca e apreensão em seu gabinete e residência. No entanto, todo material apreendido foi liberado pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região. 

O advogado Gean Castrillon, que presidia o Detran (Departamento Estadual de Trânsito), pediu demissão do cargo após ser encontrada volumosas quantias de dinheiro em sua residência aparentemente sem origem. 

 

Outro lado

 

O senador Pedro Taques (PDT) admite manter amizade com Fernando Mendonça. No entanto, nega que a saída do empresário da direção municipal do PDT tenha algum vínculo com a Operação Ararath da Polícia Federal. 

“Conheço Fernando Mendonça, é meu amigo e de fato doou financeiramente para minha campanha eleitoral, conforme pode ser observado no site do TSE. Não tenho conhecimento do que esteja acontencendo nessa operação, até porque não mantive conversas com ele neste sentido.  Nós mudamos várias comissões provisórias do PDT; Várzea Grande não foi a única. Portanto, não há uma relação disso com a operação da Polícia Federal”.

O senador também confirmou que a filha do empresário trabalha em seu gabinete.  “Está comigo em Brasília e é responsável por cuidar do meu site”, disse.

VEJA MAIS

Éder Moraes confirma transação com empresário investigado pela PF

PF invade casa de ex-secretário, donos de factorings e empresas em MT

PF também invade escritórios de Piran, construtora e usina de álcool em MT e DF

PF cumpre 24 mandados de busca em Mato Grosso, Goiás e SP

Justiça Federal manda devolver Ferrari de empresário apreendida em São Paulo

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS