25 de Agosto de 2019,

Política

A | A

Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 22h:30 | Atualizado:

Ministro diz que não manda recurso sem abertura de contas


Gazeta Digital

mandetta-assembleia.jpg

 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltou a afirmar em reunião na segunda-feira (22) que não vai liberar recursos para a Santa Casa de Misericórdia sem que haja abertura das contas do hospital, assim como a apresentação de um plano de ação. Segundo Mandetta, só haverá envio de recursos de forma séria, com apresentação e documentos, pois “brincadeiras o Ministério não faz”.

Fechada desde 11 de março, a Santa Casa ainda não divulgou por completo o levantamento de todas as dívidas, assim como um plano para voltar a funcionar e quitar os débitos. O ministro disse que quanto mais rápido essas providências forem tomadas, mais ágil será a liberação de recursos.

Na reunião, que teve o tom mais endurecido por parte do ministro, estiveram presentes representantes da Assembleia Legislativa, Prefeitura de Cuiabá, Câmara de Vereadores de Cuiabá, Senado Federal, governo do Estado, Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), da Santa Casa e de outros hospitais filantrópicos.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, concordou com o ministro e disse que, apesar da boa vontade do Estado e até do Ministério da Saúde, a Santa Casa não fez a sua parte. “Hoje cedo fiz questão de checar e não recebemos o plano. Ouvi pela imprensa que tem R$ 108 milhões em dívidas, mas não sei quem são os credores. A Santa Casa precisa ter clareza”.

Senador por Mato Grosso, Wellington Fagundes (PR) enfatizou a disposição do Ministério em ajudar, desde que fossem apresentadas as informações sobre a situação real da unidade hospitalar. “Resolver um salário não resolve a situação, porque os salários continuam vencendo. Vamos sair sem uma definição, porque se não apresentarmos algo palpável para o Ministério, não será resolvido. A Prefeitura e os vereadores precisam tomar uma decisão, porque em Cuiabá a gestão é plena”.

Para o ministro está claro que todos os envolvidos querem a reabertura da Santa Casa, porém, é preciso fazer o processo correto para a liberação de recursos. “Sabemos que o trabalho público é complicado, mas é preciso dar o primeiro passo. A Santa Casa, junto com os gestores municipais, estaduais. Façam auditoria conta a conta, deem transparência no processo. Façam o trabalho de vocês o mais rápido para podermos voltar com o recurso”.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS