12 de Dezembro de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019, 19h:20 | Atualizado:

MÁFIA DA SAÚDE

MPE investiga superfaturamento em serviços prestados por hospitais privados ao Estado

Órgão atua junto a atual gestão para evitar mais prejuízos ao Governo em atendimento a judicialização da saúde

gilberto-joseantonio.jpg

 

 

O procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira, realizou nesta quinta-feira (21) reunião com o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo e sua equipe técnica, para discutir quais medidas o Ministério Público Estadual poderá adotar em suas ações para impedir superfaturamentos na contração de serviços na área da saúde, objetos de decisões judiciais (liminares). Também participaram da reunião o procurador de Justiça da Especializada da Cidadania e do Consumidor, Edmilson da Costa Pereira, e os promotores de Justiça da Cidadania, Alexandre de Matos Guedes, e do Patrimônio Público, Roberto Aparecido Turin.

Durante a reunião, o procurador-geral de Justiça cobrou da Secretaria de Estado de Saúde informações sobre os valores que deverão servir de parâmetro para a contratação desses serviços, prazo ideal para que o Estado efetive o pagamento e a realização de auditoria para comprovação de que os procedimentos foram efetivados. “Queremos contribuir para evitar o superfaturamento dos serviços prestados em razão de medidas judiciais. Também não podemos permitir que serviços contratados sejam pagos antes mesmo da sua efetivação”, ressaltou José Antônio Borges Pereira.

Relatório elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado apontou a existência de superfaturamentos em razão da judicialização da saúde. Segundo relatório do TCE, foram detectados prejuízos de R$ 8,6 milhões ao Estado por conta de serviços contratados junto a hospitais particulares por conta de atendimentos determinados pela Justiça.

Os casos apresentados, conforme o procurador-geral de Justiça, serão investigados pelo Núcleo de Defesa do Patrimônio Público da Capital. “O promotor de Justiça Roberto Aparecido Turin já está com o relatório do TCE e será instaurado procedimento investigatório para a adoção das medidas judiciais cabíveis”, enfatizou.

O secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, falou sobre as mudanças implementadas na gestão e se comprometeu a apresentar as informações solicitadas pelo procurador-geral de Justiça na maior brevidade possível. De posse desses dados, a Procuradoria-Geral de Justiça deve encaminhar orientações aos promotores de Justiça de todo o Estado.

VEJA MAIS

TCE cita prejuízo de R$ 8,6 mi e flagra 3 hospitais de Cuiabá superfaturando serviços

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • JHOY | Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019, 10h06
    0
    0

    E AS MAIS DE """300""" CIRURGIAS BARIÁTICAS MARCADAS PARA SEREM REALIZADAS NO HOSPITAL METROPOLITANO DE VÁRZEA GRANDE(NA ÉPOCA DO SILVAL E QUE O HOSPITAL ERA ADMINISTRADA POR UMA OSS) E """"PAGAS-PAGAS-PAGAS""" PELO GOVERNO DO ESTADO, DAS QUAIS ATÉ OS MARCIANOS JÁ TIVERAM ACESSO AOS RELATÓRIOS, AUDITORIAS E SABEM QUE """NÃO""" FORAM REALIZADAS SEQUER """40""" CIRURGIAS.

  • Pacufrito | Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019, 07h18
    1
    0

    Investiguem o hospital Santa Rosa.

  • Ares | Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019, 21h06
    1
    0

    Digita aí no Google quem é o maior ladrão do mundo ?Vai umas pistas é o ícone carro chefe presidiário de estimação do pt tem nove dedos nome de um molusco roubou bilhões deixando 14 milhões de desempregados foi tão canalha que se comparou a Jesus Cristo como o homem mais santo que já existiu mais não conseguiu provar sua inocência teve que mudar o entendimento do STF pela terceira vez para ser solto digita aí no Google mate sua curiosidade

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS