25 de Maio de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 15h:36 | Atualizado:

EFEITOS DA PANDEMIA

MT prevê queda de 30% na receita


Gazeta Digital

botelho-mascara.jpg

 

Presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM) revelou que o governo Mauro Mendes, do mesmo partido, já trabalha com uma queda de até 30% na receita do Estado para o mês de abril. "A queda de arrecadação vai ser avaliada durante os meses. Provavelmente o mês de abril deve ser o mês mais crítico, março nem tanto, pois praticamente não teve queda de arrecadação. Mas abril vai ter uma queda grande, e o governo terá sérios problemas com o caixa", disse Botelho.

A informação foi dada após a aprovação pela Assembleia Legisaltiva do decreto de calamidade pública que flexibilizará o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O parlamentar lembra que o decreto permite ao governo extrapolar todas as metas fiscais sem sofrer sanções por parte da União.

O decreto de calamidade ainda garante que o Estado fique isento por 90 dias de pagar a dívida com o governo federal. A tendência é que o o Estado tenha uma redução de gastos de até R$ 1 bilhão nos próximos 3 meses.

O governador já descartou garantir o pagamento da reposição inflacionária aos servidores públicos alegando a possível queda receita. Porém, nos dois primeiros meses deste ano, a arrecadação foi de R$ 700 milhões a mais do que o mesmo período do ano passado.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Jota | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 17h41
    4
    0

    Deixe de receber sua VI, deputado. Ajude o estado.

  • Henrique | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 17h11
    2
    0

    Tá passando da hora de acabar com essa absurda verba indenizatória, no valor de R$ 65.000,00 + R$ 15.000 de comestível + salário + outros penduricalhos, que somados ultrapassam os R$ 100.000,00 por mês para cada deputado, pagos às custas do comtribuinte. Deveriam ter vergonha e acabar com essa farra com dinheiro público, neste momento de estado de calamidade em que estamos passando, com o aumento assustador do desemprego . Deveria diminuir o duodécimo em pelo menos 30% repassados ao poderes.

  • Henrique | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 17h10
    3
    0

    Tá passando da hora de acabar com essa absurda verba indenizatória, no valor de R$ 65.000,00 + R$ 15.000 de comestível + salário + outros penduricalhos, que somados ultrapassam os R$ 100.000,00 por mês para cada deputado, pagos às custas do comtribuinte. Deveriam ter vergonha e acabar com essa farra com dinheiro público, neste momento de estado de calamidade em que estamos passando, com o aumento assustador do desemprego . Deveria diminuir o duodécimo em pelo menos 30% repassados ao poderes.

  • HELO | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 16h07
    10
    0

    FIQUE TRANQUILO DEPUTADO, O SEU NÃO VAI DIMINUIR. AS VÍTIMAS SÃO OS FUNCIONÁRIOS DO EXECUTIVO.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS