15 de Julho de 2020,

Política

A | A

Domingo, 31 de Maio de 2020, 15h:11 | Atualizado:

FLEXIBILIZAÇÃO

MT retoma 90% das atividades econômicas e arrecadação inicia recuperação

Mauro Mendes deu uma entrevista à CNN na última sexta-feira


Da Redação

mauro---.jpg

 

O governador Mauro Mendes (DEM) revelou que 90% das atividades econômicas em Mato Grosso estão “normalizadas”. Ele reconheceu que, em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), houve queda na arrecadação, porém, o resultado negativo se deu em razão da redução das atividades econômicas de outros Estado, que consomem a produção do Estado – etanol, carne etc.

Mauro Mendes concedeu uma entrevista à CNN Brasil na última sexta-feira (29). Ele comentou que a economia do Estado foi afetada não em razão da paralisação da atividade econômica.

Em sua avaliação, outros Estados, como São Paulo, deixaram de adquirir a produção local. “Em Mato Grosso, hoje, mais de 90% das nossas atividades econômicas estão e sempre estiveram normalizadas. Nós perdemos, de queda de arrecadação, não é função da nossa economia dentro do Estado. O que nós vendemos para São Paulo, nós vendemos etanol, proteína, carnes, alimentos, para outros Estados e lá tiveram um nível de queda maior e isso afetou a nossa economia”, disse ele na entrevista

A declaração de Mendes ocorre num momento em que os governadores de outros Estados começam a “flexibilizar” a abertura do comércio no país. A restrição de funcionamento dos estabelecimentos atende às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Até a última sexta-feira, Mato Grosso contabilizava 2.262 casos de Covid-19 com 57 mortes. A cidade que mais apresenta óbitos pelo vírus é Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, com 11 vítimas.

O município vem “resistindo” às recomendações da OMS. O governador também contou na entrevista que Mato Grosso não vem fazendo “nenhum movimento de flexibilização” e que as taxas de ocupação nos leitos de UTI no Estado devem ficar, no máximo, entre 50% e 60%.

Segundo boletim do Governo do Estado, atualmente, esse número é de pouco mais de 16%. “Nós não estamos fazendo nenhum movimento de flexibilização de abertura. Estamos fazendo um movimento de abrir leito para manter essa taxa de ocupação, dentro de patamares razoáveis, em torno de 50% e 60% no máximo, e com isso ter um nível de atividade econômica normal”.

POLÍTICA

Um trecho da entrevista do governador Mauro Mendes foi compartilhado pelo ex-deputado federal, e suplente a senador, Fábio Garcia (DEM), em sua conta no Instagram. Aliado de Mendes, ele deu uma "alfinetada" no prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), adversário político do governador, e que vem tomando medidas de contenção de circulação das pessoas relativamente mais rigorosas do que em outros municípios, na Capital.

Fábio Garcia acusou Emanuel Pinheiro de “fechar leitos na saúde” e também “mandar fechar empresas”. “Enquanto a prefeitura de Cuiabá fecha leitos na saúde e manda fechar empresas, o Governo de Mato Grosso inaugura hospital, abre novos leitos e prepara o Estado para que a gente possa trabalhar”.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alexandre | Domingo, 31 de Maio de 2020, 16h03
    2
    1

    bastou cair o dinheiro do governo federal...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS