17 de Julho de 2019,

Política

A | A

Domingo, 21 de Abril de 2019, 17h:20 | Atualizado:

"RAPINAGEM"

Novo gestão denuncia furto de equipamentos do centro cirúrgico da Santa Casa

Santa Casa acumula dívidas de R$ 118 milhões e está fechada há mais de 1 mês


Da Redação

santacasa.jpg

 

O presidente da Comissão Gestora, instituída recentemente para comandar a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, Luís Felipe Saboia, denunciou um suposto furto de equipamentos da unidade. Por meio de sua conta no Facebook, Saboia descreveu que um verdadeiro “limpa” foi feito no centro radiológico e que existem denúncias de que o mesmo ocorreu no centro cirúrgico.

“Dia 23.04.19, vou inspecionar o centro cirúrgico. Existem denúncias de rapinagem no centro cirúrgico, principalmente em nossas preciosas caixas cirúrgicas. No centro radiológico, sumiram os equipamentos tomógrafo, raio-x, meses radiológicas, etc. Está limpo, isto é, sem equipamentos”, publicou.

Na manhã de sexta-feira (19), o médico havia utilizado a mesma rede social para acusar a antiga gestão de ser responsável pela calamidade financeira instalada na unidade, devido a dívidas acumuladas na ordem de R$ 118 milhões.

Saboia assumiu a gestão no último dia 12, após os associados da Santa Casa avaliarem que a diretoria vinha mantendo uma relação estremecida com os agentes políticos, principalmente com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), com quem houve troca de acusações sobre a responsabilidade pelos débitos da unidade.

Os associados então afastaram, por 180 dias, toda a diretoria da unidade e empossou uma nova comissão. Administrativamente, a Santa Casa continua sendo conduzida pelo capitão da reserva, Daniel Pereira.

A Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, inaugurada em 1817, fechou suas portas há mais de um mês, após passar por sérias dificuldades financeiras e acumular dívidas na ordem de R$ 118 milhões, inclusive, com salários atrasados. Funcionários do hospital tem se mantido com doações.

O assunto vem sendo debatido pelos órgãos públicos, em busca de uma solução para a unidade. Entre as medidas, está a destinação de recursos financeiros por parte da prefeitura de Cuiabá e da Assembleia Legislativa de Mato Grosso para quitar as folhas de pagamento que estão em atraso.

No âmbito municipal, a situação acabou gerando rusga entre o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), e a então diretoria da unidade, com troca de acusações sobre a responsabilidade acerca da atual situação da Santa Casa.

De um lado, a diretoria acusa a prefeitura de dever por serviços prestados e repasses não feitos, como a emenda da bancada federal, que seria destinada à unidade. Por outro, a prefeitura alega que a Santa Casa recebeu por serviços ainda não prestados e que, portanto, ela é quem está em débito na situação.

De acordo com informações, a unidade já firmou dois Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) com o Ministério Público do Estado (MP), mas que não teriam sido cumpridos. Uma das exigências do órgão ministerial seria a renúncia coletiva da diretoria da Santa Casa, o que não teria sido aceito pelos médicos que a compõe.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • JUSTICEIRO | Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 09h06
    0
    1

    ISSO E DESCULPA PARA NÃO PAGAR OS COITADOS DOS TRABALHADORES...ISSO E GOLPE...

  • JUSTICEIRO | Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 09h05
    0
    1

    ISSO TEM CHEIRO DE PEIXE GRANDE, MUITO ESTRANHO ESSA CONVERSA , SO ISSO QUE O MPF TEM QUE INVESTIGAR, PQ EI TEM PEIXE GRANDE DA PROPRIA JUSTIÇA.....

  • João José | Domingo, 21 de Abril de 2019, 19h54
    5
    0

    Será que não foi a diretoria anterior??

  • José | Domingo, 21 de Abril de 2019, 18h16
    5
    0

    Huum aí tem treta

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS