02 de Julho de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 08h:33 | Atualizado:

CHAMOU DE "MELIANTES"

OAB-MT acusa Selma de desprezar advocacia; lembra ação no CNJ e cassação

Acusações constam em representação para que OAB-DF indefira registro de advogada de senadora cassada


Da Redação

selma-arruda.jpg

 

A Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Mato Grosso (OAB-MT) - fez duras críticas à juíza aposentada, Selma Arruda (Podemos-MT), que, na avaliação da instituição, “nutri total desprezo pela advocacia”. Cassada do cargo de senadora da república pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em dezembro de 2019, a OAB-MT também chamou Arruda de “política ficha suja”.

As críticas constam de uma manifestação da OAB-MT enviada à seccional da Ordem no Distrito Federal (OAB-DF). Selma Arruda, após se aposentar da magistratura e ser cassada do cargo de senadora por prática de Caixa 2 e abuso de poder econômico, tentou sua inscrição na OAB-MT para atuar como advogada. A representação da Ordem, em Mato Grosso, negou seu pedido.

Selma Arruda, então, tentou se filiar à OAB-DF. Num primeiro momento, em 6 abril de 2020, a representação no Distrito Federal concedeu o registro à senadora cassada, autorizando-a a atuar na advocacia em Brasília. Porém, a OAB-MT enviou uma manifestação à seccional vizinha, relatando uma série de irregularidades e fatos que colocam em xeque a idoneidade moral da juíza aposentada – ao menos, na avaliação dos advogados mato-grossenses. Um mês depois, em 6 de maio, a OAB-DF suspendeu a credencial.

“A pretensa postulante ao ingresso nos quadros da Ordem, nutri total desprezo a advocacia e a Ordem dos Advogados, pois no mês de agosto de 2019 em um artigo além de criticar e fazer acusações a atuação da Ordem e do Poder Judiciário, chama os advogados de meliantes”, diz a OAB-MT em manifestação à OAB-DF.

A representação da Ordem em Mato Grosso avalia ainda que a atuação de Selma Arruda enquanto juíza – ela se aposentou em 2018 para concorrer ao Senado -, teve como ”marca indelével” sua atuação “polêmica” e “pouco respeito à advocacia”. Enquanto juíza, Arruda viu ações judiciais que ela mesmo julgava serem anuladas pelo próprio Poder Judiciário Estadual, sofreu representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) após mandar prender um desafeto sem provas e até mesmo chamou um jornalista de Cuiabá de “ridículo” e “retardado”.

“Como se isso não bastasse, após se aposentar a pretendente a inscrição passou a ser investigada por outras irregularidades em sua atuação como Magistrada, notadamente em um esquema de grampos telefônicos irregulares em Mato Grosso [...] Teria ela, então, idoneidade moral para receber mandato para representar pessoas perante a administração e Poder Judiciário? Não!”, apela a OAB-MT.

Cassada por prática de Caixa 2 e abuso de poder econômico em decisão do TSE que confirmou o entendimento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), a OAB-MT lembrou, ainda, que Selma Arruda é ficha suja, e não pode se candidatar a nenhum cargo eletivo na política. “O fato principal, Excelentíssimo Presidente, é que hoje Selma Arruda é legalmente considerada ‘ficha suja’, ou seja, está inelegível”.

A manifestação da OAB-MT, que além de pedir o indeferimento do registro de Selma Arruda na OAB-DF, também solicitou que a senadora cassada respondesse a um processo de inidoneidade moral no Conselho Pleno da Ordem, foi analisado pela relatora Karina Amorim Sampaio Costa, da seccional do Distrito Federal. Ela concordou com os fatos revelados pela representação dos advogados de Mato Grosso, e apontou, ainda, que a juíza aposentada omitiu essas informações eu seu pedido de registro.

Karina Amorim Sampaio Costa votou no sentido de abrir um processo por inidoneidade moral contra Selma Arruda em parecer do último dia 28 de maio. Seu entendimento, no entanto, ainda será analisado pela OAB-DF. Se a juíza aposentada sofrer a representação no Conselho Pleno da Ordem ela poderá ser banida da advocacia no país.

 

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Bird | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 12h27
    1
    0

    Querem acabar da vida da mulher sem ao menos ter assumido o cargo de senadora e mostrar serviço agora querem que ela não exerça a atividade que a qual se formou

  • Sonia Maria Cézar Reis | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 12h20
    0
    3

    Não tem nada a ver com.a vida pessoal dele vai responder por isso mas a Dra Selma tinha conhecimento das leis da justiça eleitoral pois foi juíza do mesmo ela esta erradankkkk

  • Advogado do interior | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 11h26
    4
    1

    Posição isolada de alguns advogados que por estarem no comando da OAB a décadas acham dono dela. Mas se for fazer uma enquete com todos os advogados certamente não colocarão obstáculos na inscrição da Selma. A OAB precisa de uma oxigenação urgentemente.

  • Raimundo | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 10h32
    11
    1

    Descer a ripa na mulher tá liberado? Respondo um processo desse e sou inocente, agora eu quero ver a OAB me proibir de se inscrever.

  • Frederico | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 10h09
    9
    3

    Essa postura é típica de regimes totalitários. Falam muito em democracia, mas a rejeitam, desprezam. Hipócritas mesmo.

  • Dias | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 09h58
    4
    8

    Selma, tenha o mínimo de dignidade e vergonha na cara!

  • Leonidas Costa | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 09h07
    14
    10

    E o presidente bater na mulher pode????? KKKKKKK hipocrisia fede.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS