14 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 07h:09 | Atualizado:

OPERAÇÃO QUADRO NEGRO

PC prende 6 e bloqueia R$ 10 milhões por desvios no extinto Cepromat

Mandados decretados pela juíza Ana Cristina Mendes é por venda de lousas digitais falsas ao Estado

defaz-lindomar.jpg

 

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (DECCOR), em conjunto com o Comitê Interestadual de Recuperação de Ativos (CIRA) e Ministério Público Estadual (MPE), deflagrou na manhã desta terça-feira (22.10), a operação “Quadro Negro”. A operação visa dar cumprimentos a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar com o objetivo de apurar desvios ocorridos no antigo Centro de Processamento de Dados do Estado (Cepromat), atual Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI). 

As ordens judiciais foram decretadas pela juíza Ana Cristina Silva Mendes da 7ª Vara Criminal da Capital e um dos detidos é o empresário Valdir Agostino Piran. Ao todo foram expedidos 06 mandados de prisão preventiva e 07 de busca e apreensão domiciliar, que serão cumpridos nas cidades de Cuiabá (MT), Brasília (DF) e Luziânia-GO.

Além dos mandados, foi decretado o sequestro de mais de R$ 10 milhões, em valores, imóveis e veículos de luxo. A operação é coordenada pelos delegados Anderson Veiga, Luiz Henrique Damasceno e Bruno Lima Barcellos.

Detalhes sobre os trabalhos serão passados em coletiva de imprensa, às 09h30, na Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). A Operação Quadro Negro, remete ao quadro e giz que ainda funcionam nas escolas, já que as lousas digitais eram falsas, bem como à situação (quadro) estrutural crítica que a educação básica se encontra em razão dos prejuízos causados pelos desvios.

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • HARAN QUINTI | Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 10h00
    6
    0

    Os "CARRÕES" de Cuiabá, quase sempre tem origem ilícita!

  • Olho Vivo | Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 07h52
    12
    0

    Os financiadores dos diversos crimes e consequentemente também criminosos, são sempre as mesmas figurinhas, a quem os puxa-sacos chamam de empresários.

  • José | Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 07h51
    13
    1

    Será porque que os políticos e secretários que roubaram no rio de janeiro foram punidos e na maioria estão presos e no mato grosso só investiga investiga investiga e não pune será que as leis do mato grosso são diferentes das leis do Rio de janeiro tem caroço nesse angu?

  • José | Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 07h23
    11
    0

    Bomba bomba bomba. E vem mais por aí da higt soe nada society.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS