20 de Setembro de 2019,

Política

A | A

Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 07h:41 | Atualizado:

OPERAÇÃO TAPIRAGUAIA

PF recolhe documentos na casa de ex-deputado; ex-prefeito em MT é preso

Gaspar Lazzari, de Confresa, já havia sido alvo da 1ª fase da operação


Da Redação

valtenir-gaspar.jpg

 

O ex-prefeito de Confresa, Gaspar Lazzari (PSD), é um dos presos na Operação Tapiraguaia, deflagrada nesta quinta-feira (22) pela Polícia Federal. Os outros dois alvos de prisão são assessores de políticos.

Contra o ex-deputado Valtenir Pereira (MDB), o mandado é de busca e apreensão. Policiais federais estão em sua residência recolhendo documentos e mídias digitais que podem ser úteis às investigações.

Gaspar Lazzari já havia sido alvo na primeira fase da operação. Na ocasião, chegou a ser denunciado pelo Ministério Público Federal por fraudes em processos licitatórios que teriam resultado no desvio de cerca de R$ 4 milhões. Os recursos seriam aplicados em serviços da Educação Básica, construção de UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), Unidades Básica de Saúde e construção de ponte.

Lazzari é, atualmente, 2º suplente de deputado federal. Ele recebeu mais de 40 mil votos e ficou na 2ª suplência, atrás justamente de Valtenir Pereira.

TAPIRAGUAIA 2

A Operação Tapiraguaia teve sua 2ª fase deflagrada nesta quinta-feira. Ao todo, são cumpridos três prisões preventivas e sete medidas cautelares nos municípios mato-grossenses de Cuiabá, São Félix do Araguaia, Serra Nova Dourada, Bom Jesus do Araguaia, Apiacás e também em Brasília (DF). Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Barra do Garças, que também determinou o sequestro de bens e valores.

A segunda fase é resultado da análise dos dados bancários e dos objetos apreendidos durante a primeira fase da operação, ocorrida em 30 de janeiro deste ano. O material colhido aponta que um ex-deputado federal de Mato Grosso (hoje suplente de deputado), no período entre 2014 a 2016, teria montado um esquema criminoso em conluio com empresários e prefeitos de Confresa e Serra Nova Dourada.

Segundo a PF, cerca de R$ 601 mil teriam sido utilizados para pagamentos de propina. As investigações mostram que o então deputado teria viabilizado a realização de convênios entre o Ministério da Integração Nacional, através da Secretaria Nacional da Defesa Civil e as prefeituras, amparando-se na justificativa de construção de pontes de concreto emergenciais, devido às enchentes provocadas pelas chuvas.

Os prefeitos, beneficiados com os recursos federais, realizavam licitações repletas de irregularidades, combinando previamente com os empresários contratados para a execução das obras. Os políticos exigiam propinas a essas pessoas, na medida em que fossem realizados os pagamentos.

Os valores utilizados nas propinas provinham na maioria das vezes de medições fraudulentas, como atestados de serviços não realizados ou realizados a menor. Os montantes eram repassados aos gestores municipais e ao ex-deputado, por meio de depósitos e transferências em contas de terceiros.

A análise policial também aponta a emissão de cheques, entregas de dinheiro em espécie e até mesmo pagamento de boletos e contas dos gestores públicos (contas de energia, boletos de estabelecimentos comerciais, dívida em hotéis, etc). Os valores repassados ao deputado eram, em regra, depositados em contas bancárias de seus assessores ou de empresas a eles vinculadas, sendo que uma das empresas é fantasma.

Ainda segundo a PF, os assessores e as respectivas empresas recebiam valores avulsos das prefeituras por suposta prestação de serviços de assessoria e consultoria para liberarem as parcelas dos convênios por meio de lobby. As obras da prefeitura de Confresa teriam gerado em torno de R$ 413 mil em propinas aos agentes públicos envolvidos, enquanto as de Serra Nova Dourada o montante de R$ 187 mil.

O nome da operação faz referência à palavra “Tapiraguaia”, primeiro nome do município de Confresa. O termo é uma junção das palavras “Tapirapé” e “Araguaia”, dois rios da região norte mato-grossense.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • José | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 15h50
    2
    0

    Porque prendeu só o prefeito e não prendeu o ex deputado já vi previlegio

  • José | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 15h39
    2
    0

    Quem não sabe que vinte por cento das verbas que os deputados destinam aos municípios o prefeito tem que devolver a eles é de praxe só as verbas do bezerra que é trinta por cento

  • Carlos | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 11h01
    7
    0

    A corregedoria da defensoria pública terá que abrir um procedimento administrativo, sob pena de prevaricação...

  • MARCO ANTONIO CARVALHO NEVES | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 09h42
    6
    0

    WALTENIR PEREIRA, SEMPRE FOI SAFADO E LADRÃO. TEM QUE APODRECER NA CADEIA!

  • RENATTUS | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 09h28
    6
    0

    A ESPOSA DESSE É METIDA DEMAIS .... VOU VIRAR POLITICO PRA VINGAR PAPAI... UI UIUI... SE GRITAR PEGA LLALAU NÃI FICA UM MEU IRMÃO....

  • Cidadão | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 09h22
    6
    0

    Se for nas casas e escritorios dos irmão (ãs) e chefes de gabinetes vão encontrar muito mais. isso ai não é nada em comparação com o que realmente tem as escondidas.

  • ELEITOR | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 09h00
    4
    0

    Este sujeito que foi preso foi candidato a Deputado Federal com discurso de representante do vale do Araguaia é por isso que somos conhecidos como vale dos esquecidos porque só aparece deste tipo para nós representar. Espero que este sujeito mofe na cadeia porque lá é que o lugar de corruptos.

  • caveira | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 08h56
    5
    0

    pior do que esses vagabundos aí são os que acreditam e votam e ajudam esses canalhas a se reelegerem, são ladrões disfarçados de políticos que se sindicalizam em organizações criminosas denominadas partidos políticos para ter o benefício da justiça quando forem pegos, todos sabemos que político no Brasil não fica preso, quando há uma operação dessa, creio que os TJ ficam em festa e todos sabem porque, mas o mais repugnante é saber que canalhas como estes estarão prontinhos para se candidatarem e terão o apoio de muiiiitos burros que clamam por um país melhor mas na hora de escolher sempre escolhem e ajudam os mais canalhas, bandidos, corruptos que adoram estar nas páginas políciais, quem tem que ter vergonha na cara não são esses canalhas mas sim seus eleitores que são piores que eles.

  • Justiça | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 08h53
    6
    0

    A Bandeira de Valtenir sempre foi A MEMORIA DE SEU PAI. AGORA ALÉM DE CORRER SÉRIOS RISCOS DE SER PRESO E CONDENADO,VE SE O NOME DA FAMILIA ENVOLTO EM FALCATRUAS!!!!

  • Luis Henrique | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 08h21
    16
    0

    Imagina hora que chegarem as emendas parlamentares do Valtenir...

  • Pacufrito | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 08h18
    18
    0

    Até que em fim a policia começa colocar a mão neste imoral. ele vai dizer que é perseguição politica, que esta a disposição da justiça, que não precisava disto etc... na verdade o que tinha que acontecer é este imoral ir para cadeia. estes corruptos matam muita gente, quantas pessoas deixaram de ser atendidas nos hospitais, quantas pessoas deixaram de ter seus remédios porque estes imorais desviaram dinheiro público??? CORRUPÇÃO MATA e normalmente mata os pais pobres. portanto se mata, eles devem ser julgados por crimes.

  • Dona Janete Sapateira | Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 08h14
    10
    0

    Faz uma conversa no pé de ouvido que o homi faz delação premiada.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS