24 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 28 de Janeiro de 2020, 23h:45 | Atualizado:

SEM BARGANHA

PL descarta trocar apoio do MDB em Sinop por aliança em Cuiabá

Juarez Costa é cotado para enfrentar Rosana Martinelli na principal cidade do Norte


Da Redação

wellington-rosana.jpg

 

O senador Wellington Fagundes, presidente do Partido Liberal (PL) em Mato Grosso, defende candidatura própria da sigla para a eleição majoritária nas eleições municipais de outubro, em Cuiabá. Embora o partido tenha participado da eleição do atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que tem em sua base na Câmara o vereador Chico 2000, Fagundes entende que o partido deve se fortalecer para disputar as eleições. “O ideal é que todos os partidos tenham seus candidatos, para disputar o primeiro turno”, disse nesta terça-feira (28) o senador e presidente do PL no Estado.

O parlamentar avisou que buscará um nome viável para disputa na capital do Estado. “Se nós tivermos a possibilidade de ter um candidato pelo PL para prefeito, vice-prefeito, vamos ter”, afirmou, em entrevista ao Jornal do Meio dia, na TV Vila Real. 

O comentário de Fagundes ocorreu após ser questionado se o PL aceitaria fazer um acordo, para apoiar Emanuel em seu projeto de reeleição em troca do apoio do MDB do deputado federal Juarez Costa (MDB) à prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, que deve buscar a reeleição pelo PL. Ele descartou o que considera como “barganha”. “Essa história de fazer barganha de uma cidade com outra não concordo muito não. Principalmente Cuiabá, Capital, que tem eleição para o segundo turno”, disse Fagundes, que aceitaria uma aliança apenas para apoiar um candidato, que poderia ser Emanuel, em um eventual segundo turno nas eleições de outubro.

Para Fagundes, reeleger Rosana prefeita de Sinop é fundamental para as pretensões de crescimento do partido. “Rosana vem fazendo uma grande administração, é prefeita de uma cidade muito importante e para o PL com certeza é estratégico”, disse o senador.

A intenção do PL é atrair bons nomes para ajudar no crescimento do partido e construir uma chapa forte para disputar uma vaga nas  Câmaras municipais. “Cada partido tem que procurar, principalmente  nesta eleição, fazer uma chapa de vereadores também. Então, vamos conversar, estamos procurando lideranças, que não está fácil, pessoas que queiram participar da vida publica”, disse Wellington Fagundes.

Além de contar com Wellington Fagundes como um dos três representantes de Mato Grosso no Senado Federal, a agremiação conta hoje no Estado com 12 prefeitos e 106 vereadores (de um total de 1.406) eleitos nas eleições municipais de 2017 pelo PR (Partido da República), que em maio do ano passado, após homologação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), voltou às origens assumindo o nome de PL (Partido Liberal).  Nas eleições de 2018, em outubro,  o ainda PR não elegeu representantes para o parlamento estadual e também para a Câmara dos Deputados.

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Zanoto | Quarta-Feira, 29 de Janeiro de 2020, 03h17
    1
    0

    Welton é uma piada desde que andava de cueca na Av Amazonas em Rondonópolis quando criança. Comissão mínima 20% líquido. Sem contar a Sintra que só falta colocar seu nome há décadas demarcado território e modalidades entre outros setores. Grande agiota do iludido povo que só o elege para o legislativo. Porque no executivo sempre levou pau. Vamos ver se seu filhinho emplaca como o próximo prefeito da sua cidade com tanta força que o Sr conta. Inclusive da comunicação. Vamos passar der serol, serol, assim quem sabe cola, assim, assim.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS