09 de Dezembro de 2019,

Política

A | A

Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019, 14h:04 | Atualizado:

ARAPONGAGEM NO ALENCASTRO

Prefeito de Cuiabá denuncia à AL pressão de Mauro e uso político da PC de MT

Em denúncia, Emanuel cita que diretor geral pressionou delegados a abrirem investigação sem elementos


Da Redação

mauro-emanuel.jpg

 

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), protocolou nesta manhã de segunda-feira (02.12) uma denúncia aos presidente e vice-presidente da Assembleia legislativa do Estado de Mato Grosso, deputados Eduardo Botelho e Janaína Riva, respectivamente, sobre o possível uso ilegal da máquina do Estado para prejudicá-lo politicamente. A ação, de acordo com a denúncia, envolveria a Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). 

Na última quarta-feira (27), a servidora Elisabete Maria de Almeida, do Hospital São Benedito, esteve na Defaz e registrou um boletim de ocorrência acusando o prefeito Emanuel Pinheiro de ter oferecido a vereadores R$ 50 mil para que cassassem o mandato do vereador Abílio Júnior, que responde a processo na Câmara de Ética por quebra de decoro parlamentar. O dinheiro teria sido oferecido na noite do dia 21 de novembro durante jantar na casa do vereador Juca do Guaraná filho. 

A servidora contou que esteve na residência de Juca do Guaraná participando do jantar a convite de sua chefe no hospital. Ela disse que a reunião se tratava “para tirar o vereador Abílio”, e que o prefeito ofereceu além do dinheiro mais 20 cargos comissionados.

No depoimento, ela disse que “Emanuel tirou o dinheiro do envelope e entregou para os vereadores que ali estavam”. No pedido feito a Botelho e Janaína, Pinheiro solicita a investigação sobre o caso e que as testemunhas sejam convocadas para o esclarecimento dos fatos.

O prefeito de Cuiabá reforça que recebeu a denúncia de "pessoas idôneas e que, indignadas com a situação, resolveram denunciar a ação que seria, no mínimo, imoral e ilegal, lembrando o caso da Grampolândia Pantaneira". Na denúncia feita nesta segunda-feira na Assembleia, Emanuel disse que recebeu a informação de que no dia do depoimento que o delegado disse a Elisabete que os elementos da acusação eram frágeis e que não havia indícios suficientes para abrir a investigação.

PRESSÃO DE MENDES

Entretanto, segundo a denúncia, o diretor geral da Policia Judiciária Civil, Mário Demerval Aravechia de Resende, teria determinado a abertura da investigação e que seria um "pedido pessoal" do governador Mauro Mendes. A suposta pressão teria provocado uma crise interna na Defaz.

A assessoria da deputada Janaína Riva, vice-presidente da ALMT, confirmou o recebimento da denúncia feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro e que a mesma será apresentada para os demais deputados na reunião do Colégio de Lideres, marcada para a tarde desta terça-feira (03).

 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Mister | Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019, 22h58
    0
    0

    Paletó quer uma cortina de fumaça para as suas trapalhadas. Fora Paletó

  • OLHA. OLHA | Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019, 16h52
    3
    3

    VEJA. SÓ. O. GOV. MM....NAO. TA. BONITO. NA. FOTO....AS. INVESTIGAÇÕES.... DO. GARIMPO... DO. APARTAMENTO.... NA. JUSTIÇA DO. TRABALHO.....JÁ. DEU. PANO. PRA. MANGA....SENDO. ASSIM ..... CHUMBO. TROCADO. NAO. DÓI. NOS. ELEITORES. TAMO. DE. OLHO.

  • Fabio Dias | Segunda-Feira, 02 de Dezembro de 2019, 16h38
    4
    1

    a treta desses dois ai parece da minha mae com meu pai...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS