19 de Setembro de 2019,

Política

A | A

Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 11h:30 | Atualizado:

INVASÃO MALUCA

Prefeito de Cuiabá garante legalidade de obra e chama vereador de "medíocre e desequilibrado"

Emanuel Pinheiro garante que processará parlamentar


Da Redação

emanuel-parque4.jpg

 

Emanuel Pinheiro (MDB) voltou a falar sobre a visita não autorizada do vereador Abílio Brunini (PSC), o Abilinho, às obras de sua casa para “fiscalizar” alvarás e habite-se. Em entrevista ao programa Resumo do Dia na noite desta segunda-feira (20), o prefeito classificou de novo o desafeto como "medíocre e desequilibrado e futuro alvo de ação na justiça.

Também afirmou que sua casa tem sim habite-se, “era só pedir de forma civilizada”, e que ele é o primeiro a resguardar a legislação como cidadão e chefe do Executivo. “O prefeito é um cidadão antes de tudo. A lei vale e tem que valer para todos e eu sou o primeiro a cumprir o que determina a lei, especialmente a municipal”.

A primeira vez que Emanuel usara um discurso mais agressivo para classificar o dia em que o motorista de sua esposa tomou o celular de Abilinho enquanto este gravava na rua em frente à sua casa, taxando como ilegal a obra ao fundo da imagem, foi no dia 09 deste mês, em um post no Facebook. O ocupante da cadeira número um do Palácio Alencastro reafirmou seu lamento quanto aos posicionamentos e atitudes do vereador, conforme “está comprovado no próprio relatório emitido pelo secretário de Ordem Pública. É uma pena, como já disse, toda essa mediocridade, já está tudo encaminhado, já consta no processo dos fiscais, que foram intimidados e desrespeitados, e vai constar numa ação que moverei na justiça contra essa atitude totalmente impensada e desequilibrada, não compatível com a de um representante do povo”, continuou Emanuel.

O CASO

Era a tarde de quinta-feira, dia 09 de maio, quando Abílio Jacques Brunini Júnior foi até a rua do bairro Jardim das Américas, zona sul da capital, onde mora o prefeito Emanuel Pinheiro.O motivo da visita não autorizada seria uma denúncia de obra realizada ali sem a devida autorização em alvará da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Smades).

Como é de seu hábito, Abilinho gravava por celular enquanto descrevia seu “ato fiscalizatório”. Não percebe, entretanto, quando um negro alto aparece ao fundo da imagem, caminha silenciosamente até ele e toma o aparelho abruptamente de suas mãos. Uma discussão tem início e o vídeo é interrompido. O resultado foi que a Polícia Militar foi chamada por ambas as partes e todos foram parar na delegacia, onde um produziu um boletim de ocorrência contra o outro.

Emanuel Pinheiro foi no mesmo dia se manifestar em sua página oficial e via mídias sociais para afirmar nunca ter passado por situação “tão invasiva, constrangedora e surreal como essa que eu e minha família passamos”, além de seu direito à privacidade.

O prefeito também atribuía ao vereador a responsabilidade por imagens aéreas do local que circularam por todas as mídias sociais e aplicativos de mensagem direta, como WhatsApp e Telegram.

 “Com seu celular nas mãos, tentou invadir a minha residência aos gritos e proferindo palavras de baixo calão. (...) Abílio ameaçou, intimidou e humilhou nosso prestativo motorista Jonai, que tentou evitar o ato. Mas o crime de invasão já havia sido cometido, uma vez que fez imagens de drone da minha residência, invadindo, assim, a minha privacidade e da minha família”, escreveu no post.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Pedro Sobrinho | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 13h28
    6
    1

    E o dinheiro do paletó... kd a explicação 🤔🤔🤔

  • Eduardo Alvarenga | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 13h15
    4
    1

    Quando filmar alguma coisa da rua, e invasão do espaço privado? onde esta os abusos e desrespeito do vereador? Vamos ver se a justiça não ver desrespeito nisso ai que o vereador fez, e não não ver o dinheiro no paleto.

  • Areal | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 11h57
    17
    4

    Então mostra o documento prefeito e nem seja louco de jorjar esse documento ..se não foi preso por conta da grana do paletó vai ser por fraude processual.

  • Juca Paletó | Terça-Feira, 21 de Maio de 2019, 11h52
    14
    4

    Xazammm! E o alvará foi tirado do bolso do paletó!

Matéria(s) relacionada(s):

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS