21 de Setembro de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 20 de Junho de 2014, 17h:17 | Atualizado:

PTB define rumo na noite desta sexta em Mato Grosso

Dirigentes do PTB devem se reunir na tarde desta sexta-feira (20) para discutir, segundo a ex-senadora Serys Slhessarenko, os rumos do partido. Há duas possibilidades que a legenda trabalhista deve seguir. A primeira, descartar a candidatura dela ao Senado, caminhar com o pré-candidato ao governo, senador Pedro Taques (PDT) e lançar apenas candidatos na proporcional (deputados estadual e federal), ou, lançar uma chapa pura.

Segundo a petebista, a decisão deverá ser tomada hoje, uma vez que faltam dez dias para a realização das convenções partidárias. Ela afirmou que a legenda não abrirá mão de sua candidatura a senatoria, desta forma, o PTB deverá romper com Taques e lançar a chapa pura, podendo ter o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), Luiz Antônio Pagot, encabeçando a majoritária.

Pagot foi lançado como eventual candidato ao Palácio Paiaguás, em abril deste ano, por conta da insatisfação dos petebistas com o bloco oposicionista liderado por Taques. Eles alegavam falta de espaço na chapa majoritária do senador. Mesmo sob pressão, o pedetista homologou a candidatura do senador Jayme Campos (DEM), pelo grupo.

“Faremos uma reunião hoje a tarde, aonde devemos discutir duas hipóteses. Continuar com Taques e lançar somente candidatos a proporcional ou lançarmos chapa pura. Acredito que a decisão será tomada ainda hoje. Lutamos pelo melhor do partido e acredito que o melhor para nós, neste momento, é candidatura própria. Somente proporcional enfraquece a legenda”.

Questionada sobre a possibilidade de ela vir a disputar uma vaga no Congresso Federal, Serys foi enfática e descartou. “Ou eu disputo Senado ou fico fora das eleições deste ano”.

A ex-senadora alfinetou possíveis siglas que estão intervindo dentro dos diálogos da legenda. Contudo, ela não citou nomes e nem quais seriam esses partidos. “Temos que ter liberdade, determinação e a vontade do que realmente é melhor para o partido. Não deixar que ooutros venham tergiversar e atuar para não deixar candidaturas saírem”.

A fala da ex-senadora é porque o PTB, sob comando do ex-prefeito de Cuiabá, Franciso Galindo está timidamente admitindo descartar a candidatura dela e aceitar a condição de lançar apenas a chapa proporcional, para permanecer no grupo de Pedro Taques.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS