18 de Outubro de 2019,

Política

A | A

Terça-Feira, 17 de Setembro de 2019, 22h:50 | Atualizado:

ALÉM DOS NÚMEROS

Secretário critica Emanuel e reafirma que Estado deve R$ 39 mi à Cuiabá

Gilberto Figueiredo afirma que prefeito "só quer atrapalhar" e não resolver problema


Da Redação

gilbertofigueiredo.jpg

 

Secretário Estadual de Saúde (SES), Gilberto Figueiredo (PSB) chamou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) de encrenqueiro “mais preocupado em arrumar confusão neste momento do que solução para o problema”, referindo-se ao débito de “apenas” R$ 39 milhões do Estado com a Prefeitura de Cuiabá, e não R$ 68 milhões, como vem cobrando o mandatário do município, inclusive com ameaças de judicialização.

As falas foram feitas na manhã desta terça-feira (17), durante a entrega de uma aeronave e veículos para o Ciopaer, no hangar da companhia em Várzea Grande. O titular da SES explicou que todas as dívidas de Mato Grosso estão escrituradas, registradas no sistema informatizado estatal, são empenhadas e atualmente não há nenhum registro com o status de “restos a pagar”, referindo-se à frase habitualmente utilizada pelo chefe do Palácio Alencastro.

“Não discriminamos nenhum município, muito menos a capital do Estado. Já pagamos mais de R$ 200 milhões [de uma dívida de R$ 650 milhões no início deste 2019]; o Estado está rigorosamente adimplente com relação aos repasses dos municípios e já amortizou muito das dívidas deixadas pelo governo anterior. O prefeito deveria era explicar porque em dois anos da gestão dele nunca cobrou do governo anterior a dívida que ele cobra de nós hoje”, disparou.

Figueiredo explicou que foram duas equipes responsáveis por fazer o levantamento de tudo que era crédito devido aos 141 municípios do Estado, mas ainda assim Cuiabá continua computando R$ 82 milhões de uma emenda parlamentar, como se o governo devesse ao município um acordo verbal feito com o ex-governador Pedro Taques (PSDB) e que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) já ter decidido que não existe nenhuma ilegalidade.

“Portanto, não faz parte do portfólio de dívida do Estado com a Prefeitura de Cuiabá. Essa é a informação oficial do governo. Não existe informação extraoficial e ela é pública, mas o prefeito de Cuiabá tem uma conta diferente dessa”, disparou o chefe da SES.

Depois, continuou a desancar Emanuel garantindo ter sua gestão repassado mais recursos à saúde de Cuiabá (sufocada por omissão do governo, que mantém e “deixa acontecer verdadeiro caos no interior”, segundo o prefeito) do que aos demais municípios até valores que orbitam, justamente, em torno dos R$ 80 milhões.

“É só fazer uma conta [em relação à dívida com os municípios], somente em 2018 já pagamos R$ 23 milhões para a prefeitura. O prefeito sugere que façamos um parcelamento, mas ele precisa aprender a fazer conta, porque nós já estamos fazendo isso pagando em média R$ 3 milhões à prefeitura”, disse Gilberto.

Conforme ele, atualmente o Estado deve em torno de R$ 39 milhões de repasses à Prefeitura de Cuiabá, e caso o prefeito Emanuel Pinheiro vá levar à frente suas ameaças de “judicializar a dívida”, sabe o endereço do Fórum de Cuiabá e do Tribunal de Justiça. “Se ele quer fazer isso, que faça. Sabe como”.

Outra garantia de Gilberto Figueiredo foi de que até o final do ano que vem o governo Mauro Mendes vai quitar os débitos existentes em dívidas formais com os municípios, “mas aquilo que não está documentado nem escriturado não é de responsabilidade do governo, porque não é dívida do governo. Nós vamos continuar honrando os compromissos com Cuiabá, assim como os demais municípios de Mato Grosso”.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS