07 de Julho de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 18h:50 | Atualizado:

SLOGAN E FALTA DE AÇÃO

Secretário de MM cita fechamento de UTIs e questiona gestão humanizada de EP

Mauro Carvalho também criticou reabertura do comércio quando casos de Covid estão crescendo de forma substancial


Da Redação

maurocarvalho-emanuel.jpg

 

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, lamentou a postura do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) diante do cenário pandêmico na capital. Em entrevista ao Programa Opinião (TV Pantanal 22.1) na noite de ontem, Carvalho disse que falta transparência da prefeitura de Cuiabá para tratar os assuntos referentes a saúde municipal. O gestor fez duras críticas à prefeitura ao apontar o fechamento de 40 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). “É lamentável a forma que Prefeitura de Cuiabá vem tratando a pandemia, o combate ao coronavírus e a forma que foi colocada essa situação para sociedade”, disparou.

As declarações ocorrem meio a ação movida pela Procuradoria Geral do Estado, que ingressou com uma ação contra a prefeitura para apurar atos ilícitos realizados com os R$ 41 milhões recebidos pelo município para o combate a pandemia. Estes recursos, segundo o Governo, eram para ser utilizados em UTIs exclusivas para atender pacientes com Covid-19.

Enquanto o Estado acusa a prefeitura de fechar leitos de UTIS, Emanuel tratou a questão como politicagem do Governo do Estado. Diante dessa onda de discussões, o "braço direito" do governador Mauro Mendes (DEM) questionou o "slogan" do prefeito de Cuiabá na gestão da crise do coronavírus. “Eu não sei onde está a gestão humanizada da prefeitura de Cuiabá. Recebemos a informação triste que o número das UTIs estava reduzindo para 40. Ou seja, recebeu do Ministério da Saúde e depois fechou alegando que ia devolver o dinheiro”, detonou.

Ao responder a pergunta de um telespectador, Carvalho ainda tentou justificar a rixa entre o Executivo Municipal e Estadual, que segundo ele, não possui “viés político”. “Tudo que nós estamos falando, temos documentos. Não adianta falar que é politicagem, problema de candidatura a prefeito. Estamos tratando de vida e não tem nada a ver com a política. Não existe briga, não existe discussão. Existe tratamento de seriedade com o recurso público. O governo tem pedido transparência no que os prefeitos estão fazendo”, comentou.

Mauro Carvalho também endossou as críticas recentes do governador Mauro Mendes (DEM), que entende que agora não é o momento de reabrir o comércio, já que os casos de Covid estão crescendo substancialmente nos últimos dias. “O que a gente não entende nesse raciocínio é o seguinte: aumenta o número de casos em Cuiabá e a decisão é fechar UTI e reabrir o comércio. Eu não tenho nada contra reabrir comércio, muito pelo contrário. O que estou dizendo é que lá atrás não tinha necessidade de fechar porque existiam mínimos casos em Cuiabá”, afirmou.

ELEIÇÕES

Ao fim da entrevista, o chefe da Casa Civil foi sucinto ao falar sobre sua possível candidatura à Prefeitura de Cuiabá. Mesmo não escondendo as articulações com democratas, partido político em que filiou há um mês, Carvalho manteve cautela ao admitir brigar pela cadeira no Palácio Alencastro. “Eu sou candidato a servir a função que Deus me deu, que é servir a população mato-grossense como secretário-chefe da Casa Civil”, finalizou.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS