04 de Abril de 2020,

Política

A | A

Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 18h:47 | Atualizado:

Secretário de Saúde de MT assina carta de repúdio a Bolsonaro

O secretário estadual Gilberto Figueiredo é um dos gestores estaduais de Saúde que assinam a carta em repúdio ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na noite de terça-feira (24), sobre a crise da Covid-19 (o novo coronavírus). Na carta, os secretários estaduais de Saúde dizem que assistiram estarrecidos ao pronunciamento de Bolsonaro, que afirmou em rede nacional que o Brasil deve voltar à normalidade e que a Covid-19 é uma "gripezinha".

“Temos, juntamente com o Ministério da Saúde, os municípios e a própria sociedade brasileira, empreendido uma intensa luta no enfrentamento da Covid-19. Luta que envolve trabalho, sacrifício, solidariedade, empatia, compaixão com o sofrimento das pessoas e que depende de maneira imprescindível do alinhamento de entendimento e de ações, assim como da união de esforços e de uma direção única e firme”, diz trecho da carta.

Os secretários dizem que “ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta, contribuindo para este esforço e conduzindo a nação para onde se espera de seu principal governante: um lugar seguro para se viver, com saúde e bem estar”.

Na carta, eles citam a tentativa de desmobilizar a sociedade e citam que a atitude do presidente dificulta o trabalho de todos os que estão engajados na tentativa de conter a pandemia do coronavírus. “Infelizmente o que vimos em seu pronunciamento foi uma tentativa de desmobilizar a sociedade brasileira, as autoridades sanitárias de todo o país. Sua fala dificulta o trabalho de todos, inclusive de seu ministro e técnicos”.

Por fim, os secretários ressaltam que a economia do país, ainda que passe por instabilidades, vai se recuperar, mas ressaltam que as vidas perdidas por causa do coronavírus não serão recuperadas. “A economia, com trabalho, disciplina, organização e espírito público, se recuperará. Seremos solidários e trabalharemos sem descanso para permitir uma rápida recuperação da nossa economia. Mas é preciso que se entenda, vidas perdidas, não serão recuperadas jamais”.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Raimundo | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 20h29
    1
    1

    Canalhas! Já tem gente passando fome porque trabalha com diária. Secretários são ricos, tem bens, salário, não sabe o que é ter fome e não ter dinheiro para comer. Vagabundos, pensem no povo pobre, trabalham pra comer, de que adianta não pegar vírus e morrer de fome.

  • Daniel | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 19h52
    2
    2

    Esse secretário é o verdadeiro babaca, tá querendo holofotes. Sabe que o presidente está correto, mas em ano de campanha quer aparecer. Pinta o cabelo q resta de vermelho e pronto.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS